Depois de uns meses em que a crise dos refugiados pareceu afetar a popularidade de Angela Merkel, a chanceler alemã conseguiu fortalecer a popularidade da sua governação depois do Brexit e das suas palavras sobre a importância da manutenção do projeto europeu. Merkel aproxima-se agora de Wolfgang Schäuble, ministro das Finanças, que continua à frente das preferências dos alemães. A AfD, partido de extrema-direita, viu as intenções de voto diminuírem.

No meio do terramoto no seio da União Europeia, Angela Merkel está a conseguir reforçar a sua popularidade depois de alguns meses com uma baixa aprovação. Segundo uma sondagem da ARD, Merkel tem a aprovação de 59% dos inquiridos – o número mais alto durante os últimos dez meses. A chanceler ainda está cinco pontos atrás de Wolfgang Schäuble, ministro das Finanças, que, com 64% da aprovação, é um dos governantes mais populares.

O partido a que pertencem estas duas figuras do executivo de Berlim, a CDU, venceria as eleições com 34% dos votos, enquanto a AfD, partido de extrema-direita e eurocético, reúne 12% das intenções de voto dos inquiridos, menos três pontos do que o score que obtinha em fevereiro passado.