O PS continua a liderar nas intenções de voto, com o barómetro de outubro da Aximage a pôr os socialistas na frente com 37,7%. Ainda assim são menos dois pontos percentuais do que o registado no mesmo barómetro do mês anterior. Uma queda ligeira, que, segundo a sondagem feita para o Jornal de Negócios e o Correio da Manhã, coloca o PSD a sete pontos de distância e confirma a maioria de esquerda que se formou no Parlamento.

Precisamente um ano depois das eleições legislativas, o PS venceria as eleições com 37,7% dos votos (em setembro registou 39,8%), o PSD teria 30,6% (em setembro reuniu 30,1% de acordo com a mesma sondagem), enquanto o Bloco de Esquerda teria 8,7% (menos dois pontos do que registou em setembro), a CDU chegaria aos 7,5% (mais nove décimas do que no mês passado) e o CDS teria 6,1% dos votos — mais 1,5 pontos percentuais do que a previsão de setembro.

O CDS, que foi o único partido que mudou de líder no pós-legislativas, é assim o único partido que cresce nas intenções de voto de setembro para outubro.

A sondagem foi feita com uma amostra de 608 pessoas, entrevistadas pelo telefone fixo ou telemóvel de 1 a 3 de outubro.

Em relação à popularidade dos líderes partidários, quase todos descem. Ainda assim, António Costa é o que obtém melhor resultado, conseguindo um 12,4 (em 20). Em setembro tinha tido uma nota de 13,1. A coordenadora bloquista Catarina Martins, parceira de geringonça, é a segunda melhor classificada, com 10,4 pontos (em 20). Ainda assim, também está em queda face a setembro, altura em que tinha tido nota de 11,3.

Todos os restantes líderes partidários têm nota negativa na popularidade. Passos Coelho é o que tem pior nota (6,6) mas é o único que melhora (ainda que muito ligeiramente, apenas uma décima) face ao mês passado. Jerónimo de Sousa tem 9,7 valores e Assunção Cristas 9.