O ministro das Finanças, Mário Centeno, garante que a agência de rating decisiva para Portugal está “muito confortável” com a situação orçamental do país. A expectativa do ministro das Finanças é, portanto, que o rating fique na mesma na decisão prevista para 21 de outubro. A declaração do ministro podem estar a ajudar à descida dos juros que se regista esta segunda-feira, ainda que a taxa a 10 anos continue acima de 3,5%.

Centeno participou num almoço organizado pela DBRS em Washington, à margem dos encontros anuais do FMI que aconteceram na semana passada, e diz que ouviu “comentários e sugestões muito positivas“. As declarações de Mário Centeno são citadas pela agência Bloomberg.

“Basicamente, a visão que [na DBRS] têm é que estão muito confortáveis acerca da nossa situação orçamental, que eles próprios consideraram ‘muito robusta'”.

Neste contexto, a “expectativa do governo é que eles não irão alterar nem o rating nem o outlook [perspetiva futura]” no dia 21 de outubro, dia em que a agência canadiana que mantém o acesso ao mercado por parte de Portugal.

A descrição de Mário Centeno acerca da visão que a DBRS tem sobre Portugal contrasta com o que a agência afirmou na semana passada, em viva voz. Em declarações ao Financial Times, a agência defendeu que Portugal está preso num “círculo vicioso” de dívida elevada, crescimento baixo e um governo que marca passo nas reformas estruturais.

A taxa de juro a 10 anos está a aliviar ligeiramente esta segunda-feira, depois das subidas acentuadas da semana passada.

GSPT10YR Index (PORTUGUESE GOVER 2016-10-10 08-28-17