Os sapatos são um dos bens mais preciosos para os refugiados. Alguns chegam mesmo a andar com sandálias ou calçado em pior estado para conservarem os “sapatos bons” para quando tiverem de abandonar o campo. Os sapatos, pela sua importância, parecem ser um dos alvos da polícia francesa para intimidar os refugiados, segundo reportou o jornal britânico The Independent.

“Isto não é, de forma alguma, o pior que acontece aos refugiados durante a noite em Calais [França]. Acho que é uma forma de intimidação que não deixa marcas, mas que faz com que as pessoas vão embora”, disse Rowan Farrell, coordenador do Refugee Info Bus, uma instituição de caridade.

Além dos sapatos, os refugiados também veem os telemóveis confiscados ou destruídos, conforme os testemunhos recolhidos pelo The Independent. Mas a comando central da Polícia francesa disse não ter conhecimento dessas situações e que estas ações não fazem parte das recomendações de atuação das equipas.

As instituições de caridade temem que estas formas de humilhação e intimidação se tornem ainda piores quando as autoridades francesas começarem a desmantelar o campo de Calais, uma intervenção prevista para a próxima semana.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Claude Moraes, que coordena o grupo de Liberdades Civis do Parlamento Europeu, mostrou-se indignado e classificou a ação de “inumana”, como disse ao The Independent. O membro do Parlamento Europeu alerta também que o maior risco é para as crianças, especialmente as crianças sozinhas que o Reino Unido se recusou acolher.

“Esta escalada é reflexo da incapacidade de o Reino Unido e os franceses criarem um campo decente, com compaixão e organizado, em Calais. Este é o problema não apenas dos franceses, mas dos britânicos também, e o Reino Unido tem uma responsabilidade legal e moral aqui.”