O maior guia de viagens publicado em todo o mundo, o Lonely Planet, coloca Lisboa como uma das melhores cidades para se viajar, os Açores como uma das melhores regiões e menciona ainda o Porto como um destino de valor. O objetivo da revista é aconselhar os viajantes através da apresentação do que há de melhor no planeta.

Em 2017, Lisboa aparece em oitavo lugar das melhores cidades de turismo, os Açores surgem no terceiro lugar das 10 melhores regiões a serem visitadas e o Porto é o terceiro destino com maior valor para onde viajar.

unnamed

O que o Lonely Planet diz sobre Lisboa

“Lisboa tem a vista, a cultura e a gastronomia, porém, é raramente mencionada em comparação com outras grandes cidades da Europa, como Barcelona ou Roma (…). “

Na sua descrição, a revista tenta persuadir os seus leitores a visitar Lisboa com os seguintes argumentos: “(…) Considere os museus dos artefactos egípcios do Museu da Calouste Gulbenkian ou a arte fantástica do Museu do Berardo e o apetite por Lisboa continuará a crescer: está a chegar, para 2017, um museu sobre a história do judaísmo em Portugal, em Alfama”.

A Lonely Planet elogia ainda a capital lusa pelas suas “colinas torneadas pelas margens do Rio Tejo”, pelos “anjos da arquitetura barroca”, pelo “lado romântico do barulho antigo dos elétricos remodelados”, pelo “aspeto e ambiente de ‘bordel-chique’ da era pós-industrial ainda existente em muitos bares lisboetas”… que levarão os seus visitantes a uma experiência “insuspeita e inesquecível”. Desde o futurismo do Oceanário de Lisboa ao Padrão dos Descobrimentos ou à Torre de Belém, “Lisboa contém sítios suficientes para satisfazer até o visitante mais exigente”.

Lisboa encontra-se, assim, na oitava posição da lista de melhor cidade para visitar em 2017. Em primeiro lugar encontra-se a cidade francesa Bordeaux.

E o Porto? O que tem de fascinante, segundo o Lonely Planet

O Porto encontra-se em terceiro lugar da lista de destinos com valor, devido à “excelente e barata gastronomia e alojamento”, além da “facilidade de deslocação aérea para a cidade”, especialmente voos diretos de Nova Iorque, que fazem com que o seu valor cresça mais do que nunca.

A “segunda capital” de Portugal é ainda dotada de um vasto leque de museus “muito acessíveis” a nível de preço; de elétricos, estilo vintage, também baratos e que nos levam a qualquer lado e de uma bela praia à qual se chega ao longo de uma hora de caminhada pelas margens do Douro”.

O que diz o Lonely Planet sobre o Arquipélago dos Açores?

Já os Açores ocupam o terceiro lugar na lista das melhores regiões a ser visitada em 2017:

“A mistura de uma natureza espantosa com uma cultura ibérica fantástica, oferendo também uma facilidade de ligação à América do Norte ou mesmo ao resto da Europa. (…) os seus recursos naturais são também uma fantástica e abundante atração que parecem ser rebuscados e trazidos de vários outros locais: vulcões havaianos verdejantes, aldeias portuguesas medievais, fontes termais e borbulhantes como na Escandinávia, penhascos irlandeses e grandes crateras terrestres como na Patagónia. Mas o segredo desta maravilhosa relíquia não parece estar para durar: Os Açores têm visto um aumento de 31% no seu turismo só nos últimos 12 meses… Por isso deveria visitar este local amoroso antes que as coisas realmente se tornem virais.”

Os escritores e especialistas do Lonely Planet passaram grande parte do seu tempo na estrada de cada país sobre o qual escrevem, para que serem capazes de mostrar as suas facilidades e vantagens. Os destinos escolhidos pelo guia são regidos por vários critérios para poderem fazer parte dos melhores destinos do mundo: têm que ser capazes de oferecer novas coisas para ver ou fazer ou têm que ser sítios ainda pouco explorados, mas que mereçam ser visitados.