Rádio Observador

Osama bin Laden

Filho de Bin Laden entra na lista de terroristas com vigilância apertada

Um dos vários filhos de Osama Bin Laden, Hamza, entrou para a lista de terroristas com vigilância apertada dos EUA, depois de alegadas ameaças terroristas contra o país.

Segundo os analistas, o jovem terá nascido em 1989 e é considerado o "príncipe herdeiro" da Al Qaeda (grupo terrorista criado pelo seu pai)

Um dos filhos de Osama Bin Laden, Hamza Bin Laden, entrou para a lista de terroristas com vigilância apertada dos Estados Unidos da América, depois de alegadas ameaças terroristas contra o país. Hamza foi nomeado como sendo um “terrorista global especialmente designado“. Esta designação implica que se”impõe sanções a determinadas pessoas estrangeiras que tenham cometido, ou possam vir a cometer, atos de terrorismo que ameaçam a segurança dos cidadãos norte-americanos ou a segurança nacional, política ou económica dos Estados Unidos”, de acordo com a publicação lançada, esta quinta-feira, pelo Departamento de Estado americano.

Segundo os analistas, o jovem terá nascido em 1989 e é considerado o “príncipe herdeiro” da Al Qaeda (grupo terrorista criado pelo seu pai). Segundo dá conta a CNN, Hamza era muito próximo do pai e cresceu ao seu lado, tendo sido visto em vídeos de propaganda da Al Qaeda, cercado por homens armados que ameaçavam os Estados Unidos.

Segundo Peter Bergen, analista de segurança nacional da CNN e autor da obra “United States of Jihad“, Bin Laden estava a preparar o filho, desde muito novo, para continuar com os seus ideais.

O Hamza foi, desde novo, doutrinado com toda a mensagem jihadista. Ele é um crente fiel. E eu acho que isso faz dele uma preocupação”, comentou Peter

Quando Bin Laden foi morto, as autoridades pensavam que Hamza estaria com o pai e que, por isso, teria morrido com ele. Mas, pelos vistos, tal não aconteceu e, agora, é considerado como sendo, potencialmente, a nova cara da Al Qaeda. “Parece que esta é a nova geração de jihadistas. Dizem que é o novo Bin Laden que irá conduzir a organização para um novo futuro”, disse Thomas Joscelyn, membro da Fundação para a Defesa das Democracias à CNN. Os analistas acreditam que Hamza vai rejuvenescer a marca terrorista da Al Qaeda, especialmente por ter perdido muitos jovens para o ISIS, que tem uma mensagem muito mais apelativa e recruta muito mais.

As verdadeiras ameaças já feitas

Hamza Bin Laden foi, em agosto de 2015, anunciado oficialmente como membro da organização Al Qaeda. O anúncio foi feito pelo líder sénior Ayman al-Zawahiri, de acordo com o Departamento de Estado, citado pela CNN. Nesse mesmo ano, uma mensagem de áudio deu conta de Hamza a apelar a ataques aos Estados Unidos ou França.

Também em 2016 a Al Qaeda emitiu uma outra mensagem com Hamza a ameaçar os Estados Unidos, afirmando vingança pela morte do seu pai. Avisou os americanos de que eles seriam o alvo, seja “em casa” ou no “exterior”.

Deste modo, o Departamento de Estado afirmou que Hamza “está ativamente envolvido no terrorismo” e “como resultado desta designação, todos os bens sujeitos à jurisdição dos EUA, em que Hamza Bin Laden pode ter qualquer tipo de interesse, vão ser bloqueados. As pessoas dos EUA serão proibidas de realizar qualquer tipo de transação com ele”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)