Portugal já reembolsou metade do empréstimo concedido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), no âmbito da ajuda acordada com a troika em 2011, depois de ter amortizado 1.700 milhões de euros na semana passada, de acordo com um comunicado do Ministério das Finanças.

A tranche em causa vencia em 2019 e o reembolso foi efetuado ao abrigo da autorização que foi concedida a Portugal pelas autoridades europeias em fevereiro de 2015, ainda durante o mandato de Pedro Passos Coelho como primeiro-ministro.

O Ministério das Finanças assinala que o “reembolso foi concluído cerca de seis meses antes do previsto, refletindo a robustez das condições económicas e financeiras de Portugal”. O financiamento do FMI a Portugal situou-se próximo de 23 mil milhões de euros.