O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu esta quarta-feira que o “poder feminino” se transforme numa prioridade internacional para que seja alcançada a paz e uma maior proteção dos direitos humanos em todo o mundo. “Devemos dar total prioridade ao poder da mulher” disse Guterres aos jornalistas em Nairobi, no Quénia, onde se reuniu com o presidente queniano, Uhuru Kenyata tendo previstos ainda diferentes atos de celebração do Dia Internacional da Mulher.

Guterres disse que o sofrimento das mulheres “é trágico” porque “elas são as verdadeiras vítimas da pobreza”, dos conflitos e da violação dos direitos humanos. O secretário-geral da ONU pediu aos governos, instituições e empresas que tenham a proteção dos direitos das mulheres como maior prioridade e que possam ter uma maior participação nos processos de paz capazes de atingir melhores resultados.

“Com a presença das mulheres no desenvolvimento dos países pode atingir-se uma maior proteção dos direitos humanos no mundo”, acrescentou.

Nas visitas previstas para hoje em Nairobi, Guterres deve deslocar-se ao bairro degradado de Mathare para “conhecer os desafios” que as mulheres enfrentam na luta a favor da igualdade de género. O presidente do Quénia agradeceu a presença do secretário-geral das Nações Unidas demonstrando apoio às mulheres africanas. Guterres afirmou também que a “narrativa sobre o continente” está demasiado centrada na crise, acrescentando que “África é uma terra de oportunidades e conquistas”.