O Parlamento Europeu vai convidar o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, a ir a Bruxelas depor na comissão de inquérito aos Panama Papers, sobre as transferências que foram enviadas para offshores no Panamá a partir de Portugal no ano de 2014. O Expresso avança que os coordenadores do inquérito concordaram com a sugestão do eurodeputado do CDS, Nuno Melo, que já tinha sido noticiada pelo Público no início de março.

Nuno Melo entregou o requerimento para ouvir Rocha Andrade em Bruxelas, após o secretário de Estado ter dito no Parlamento que “de todas as transferências hoje conhecidas em relação ao Panamá no ano de 2014, 97,7%, está no oculto.” O eurodeputado do CDS considera que o governante deve esclarecer o Parlamento Europeu “sobre as datas concretas, beneficiários e operações relativas às transferências para o Panamá”, além de enviar “todos os documentos que tiver na sua posse sobre transferências”. O centrista quer ainda que Rocha Andrade diga “quais as entidades que procederam às mesmas operações” e “se essas operações foram legais, ou ilegais.”

O eurodeputado considera ainda relevante que Rocha Andrade explique porque as “informações bancárias enviadas para a Autoridade Tributária e Aduaneira portuguesa não passaram para o respetivo sistema central.”

Rocha Andrade não está obrigado a depor na comissão de inquérito do Parlamento Europeu, daí que este seja apenas um convite para depor perante os eurodeputados.