Bentley

A Bentley foi batida por um par de calças

225

Há casos, raros é certo, em que o David bate o Golias. Este é um deles: a Bentley Motors, membro do Grupo VW, perdeu uma batalha em tribunal para uma pequena empresa de roupa, a Bentley Clothing.

Autor
  • Alfredo Lavrador

Imagine uma guerra entre a Bentley, um dos fabricantes mais conceituados do mundo e hoje membro do colosso Volkswagen, grupo que em 2016 mais veículos vendeu no mundo, e uma minúscula empresa de Manchester, que produz umas peças de vestuário. Nitidamente, um caso em que poucos apostariam em David. Mas a justiça, pelo menos a britânica, não vai em estórias.

A origem da polémica é antiga e prende-se com as semelhanças, excessivas na opinião de muitos, entre a Bentley Motors e a Bentley Clothing. A pequena empresa de roupas foi fundada em 1962 por Gerald Bentley e limitava-se a produzir calças, calções e polos para golfistas, num estilo tipicamente inglês, aos quadrados e tudo. Bob e Christopher Lees adquiriram a empresa em 1990, quando empregava apenas 10 pessoas e, 19 anos depois, conseguiam registar a sua marca junto das autoridades britânicas. É precisamente isto que a Bentley Motors pretende anular.

A Bentley dos carros alegou que a Bentley das calças estava a tentar o sucesso comercial às suas costas. A família Lee contrapôs, recordando que a Bentley sobre rodas não tem grande tradição no ramo dos tecidos e que, em tempos, autorizou o antigo dono a utilizar o reputado emblema da marca. E o instituto que rege a propriedade intelectual no Reino Unido deu a razão às calças em detrimento dos carros.

Para quem está fora do negócio, esta parece ser uma questão menor. Mas se tivermos em consideração que, por exemplo, a Aston Martin admite que 50% dos seus lucros poderão em breve ser originados pelos acessórios, e que a Ferrari, comparativamente, tem quase mais lucros a vender roupas, sapatos e relógios – além de licenciar os direitos da marca para parques temáticos –, do que a produzir superdesportivos, é fácil perceber o interesse que a marca britânica, propriedade dos alemães, tem em impedir que alguém produza o que quer que seja com a marca Bentley. Sobretudo porque este construtor ainda está a dar os primeiros passos neste domínio e esta decisão do tribunal não ajudou propriamente os seus interesses futuros.

Prémios Auto 2017 Observador - A escolha dos portugueses

Coube-lhe a si decidir e está decidido. As votações para eleger os melhores automóveis introduzidos no mercado em 2017 estão oficialmente fechadas. Confira aqui os finalistas em cada uma das categorias. Dia 19 há festa (e você vai fazer parte dela).

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carroVer finalistas
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site