O autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) reivindicou este sábado o ataque de sexta-feira, no Egito, a dois autocarros e um camião onde seguia um grupo de cristãos coptas. Até agora há 29 mortos confirmados e pelo menos 20 feridos.

Um grupo de homens armados abriu fogo, na sexta-feira, sobre os veículos que transportavam os cristãos coptas, uma minoria religiosa que o Daesh tem perseguido com particular crueldade. Em agosto, um ataque a duas igrejas, também no Egito, já tinha feito 44 mortos.

Estado Islâmico: 44 mortos após duas explosões em igrejas no Egito

O Egito já retaliou bombardeando os “campos de terroristas” na parte ocidental da Líbia.

O tiroteio aconteceu na véspera do período sagrado do Ramadão, quando as vítimas viajavam da província de Beni Suef para o mosteiro de Anba Samuel, perto da cidade de Minya, no sul do Egito, a cerca de 250 quilómetros da capital, Cairo.

A diretora do SITE, um grupo que analisa as comunicações eletrónicas de grupos extremistas, publicou, na rede social Twitter, um gráfico da agência de notícia do próprio Daesh, a Amaq, que mostra alguns dos ataques que o grupo já conduziu contra cristãos no Egito.