A viagem à China de altos quadros do Estado para visitarem o gigante tecnológico Huawei foi paga pela NOS, parceira da empresa chinesa, segundo apurou o jornal digital Eco e como o Observador confirmou. As viagens terão custado cerca de 12 mil euros. O caso remete para uma viagem que envolveu 14 convidados, cinco deles funcionários dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SMPS), como havia noticiado o jornal Expresso na edição deste fim-de-semana. Segundo o Eco, os 14 convidados — que viajaram entre os dias 2 e 15 de junho de 2015– foram transportados na Emirates, em classe económica. E alguns deles pediram para a viagem de regresso ser adiada uma semana.

Fonte da NOS respondeu ao Eco que a operadora de telecomunicações está “a apurar internamente o respetivo enquadramento e todo o detalhe associado a esta visita”, mas confirma que um grupo de “colaboradores da NOS acompanharam um grupo de representantes de entidades públicas e privadas do setor da saúde, numa visita de trabalho à Huawei na China”, em junho de 2015. A Huawei garantiu ao mesmo jornal esta segunda-feira de manhã que não pagou qualquer viagem a estes cinco funcionários do Estado.

Huaweigate. Altos quadros do Estado foram à China

A NOS abriu entretanto uma auditoria interna, noticiou o jornal Expresso. Na sexta-feira, contactada pelo jornal, a NOS negou ter pago a viagem; esta segunda-feira, a administração da empresa ordenou ao departamento de auditoria que leve a cabo uma averiguação interna, uma vez que a decisão de pagar as viagens foi tomada a um nível intermédio da empresa.

O ECO apurou ainda que a viagem estava inicialmente marcada para os dias 2 a 7 de junho, mas que os convidados terão pedido para prolongar a viagem até dia 15. Segundo fontes ouvidas pelo jornal, tendo em conta que não havia qualquer visita extra integrada na viagem, poderá ter sido para gozar férias. Não é possível saber se esse prolongamento terá sido requisitado por todos os 14 convidados, entre eles os funcionários do SMPS.

Na sequência da notícia avançada pelo Expresso de que 5 dos 14 convidados seriam funcionários do SMPS, o ministério da Saúde confirmou que pediu o envolvimento da Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS).

Entretanto, no final desta segunda-feira, a NOS confirmou o pagamento a 14 pessoas, entre as quais nove convidados, que terão viajado com o objetivo de tomar contacto com boas práticas de saúde, justificam em comunicado.

NOS confirma pagamento de viagens à China de 5 colaboradores e 9 convidados

O Ministério Público já tinha entretanto aberto um inquérito às viagens pagas pela Huawei, depois de o Observador ter noticiado que vários dirigentes políticos teriam viajado até à China a convite da empresa. Entre eles estão o adjunto do Secretário de Estado das Comunidades, Nuno Barreto (entretanto exonerado), o vice-presidente da bancada do PSD, Sérgio Azevedo, o presidente da junta de freguesia da Estrela, Luís Newton, o presidente da câmara municipal de Oeiras, Paulo Vistas, entre outros.

DIAP abre inquérito às viagens de políticos à China a convite da Huawei