Venezuela

UE poderá debater sanções contra a Venezuela nos próximos dias

Os 28 Estados-membros da União Europeia poderão começar a debater a adoção de sanções contra a Venezuela "nos próximos dias", disse a chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini.

Federica Mogherini sublinhou haver "total unidade dos 28 Estados-membros" sobre a Venezuela

DONDI TAWATAO / POOL/EPA

Os 28 Estados-membros da União Europeia (UE) poderão começar a debater a adoção de sanções contra a Venezuela “nos próximos dias”, disse esta sexta-feira a chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini.

“Esse debate poderá começar nos próximos dias entre os Estados-membros”, disse Mogherini, em conferência de imprensa, no final da reunião informal dos ministros dos Negócios estrangeiros da UE em Tallin.

Mogherini acrescentou ainda ter apresentado um documento com as diferentes possibilidades sobre como ajudar a Venezuela a encontrar uma solução pacífica para a crise.

Para já, o foco está na atividade diplomática e política que desenvolvemos em total coordenação com os diferentes Estados-membros”, salientou.

A Alta Representante para a Política Externa e de Defesa da UE adiantou que “entre as opções, há indicações da possibilidade de introdução de medidas seletivas”, debate que poderá acontecer “nos próximos dias”.

Federica Mogherini sublinhou haver “total unidade dos 28 Estados-membros” sobre a Venezuela e garantiu que há coordenação entre os 28 e Bruxelas, “especialmente a nível dos contactos diplomáticos e do trabalho político, tanto com os interlocutores venezuelanos como com os atores regionais e internacionais”.

A Venezuela está mergulhada há vários meses numa profunda crise económica, política e institucional e a repressão aos protestos contra o regime de Maduro já causou pelo menos 125 mortos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Imigração

Os “anti-fascistas” histéricos /premium

João Marques de Almeida

Sendo a imigração o maior problema da Europa, desafio os “anti-fascistas” de pacotilha a olhar para as políticas anti-imigração de Macron antes de chamarem fascistas a Salvini e ao chanceler austríaco

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)