Emprego

Portugal com segundo maior crescimento do emprego da UE no 2º trimestre

A taxa de emprego aumentou, no segundo trimestre e em termos homólogos, 1,6% na zona euro e 1,5% na União Europeia, com Portugal a registar a segunda maior subida (3,6%) entre os 28.

235 milhões de pessoas tinham, no segundo trimestre, um emprego na UE

Rodrigo Baptista/LUSA

A taxa de emprego aumentou, no segundo trimestre e em termos homólogos, 1,6% na zona euro e 1,5% na União Europeia (UE), com Portugal a registar a segunda maior subida (3,6%) entre os 28, segundo o Eurostat. Já face ao trimestre anterior, o emprego cresceu 0,4% quer na zona euro, quer na UE.

Na comparação com o segundo trimestre de 2016 e entre os 26 Estados-membros, para os quais há dados disponíveis, Malta registou a maior subida da taxa de emprego (4,7%), seguindo-se Portugal (3,6%) e Chipre (3,0%). Por seu lado, a Croácia (-1,6%), a Lituânia (-1,4%) e o Luxemburgo (-0,3%) viram o indicador recuar.

Na variação em cadeia, Malta (1,0%), Espanha (0,9%), Grécia e Polónia (0,8% cada) registaram as maiores subidas no emprego. Já a Croácia (-0,8%), a Letónia (-0,7%), a Roménia (-0,6%) e a Estónia (-0,5%) viram o indicador recuar face ao primeiro trimestre.

Em Portugal, a taxa de emprego aumentou 0,7% do primeiro para o segundo trimestre do ano. Segundo estimativas do gabinete de estatísticas da UE, 235 milhões de pessoas tinham, no segundo trimestre, um emprego na UE, 155,6 milhões das quais na zona euro, sendo estes os mais altos níveis registados até agora.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)