O Governo vai proibir, já a partir das próximas eleições autárquicas, jogos e espetáculos desportivos em dia de eleições, escreve esta quinta-feira o Diário de Notícias, que confirmou a notícia junto de fonte oficial do executivo.

É a terceira vez, depois das legislativas de 2015 e das presidenciais de 2016, que a Liga de Futebol marca jogos em dia de ato eleitoral — e não são poucos. Para 1 de outubro estão agendados os seguintes jogos: Braga-Estoril (16h), Sporting-Porto (18h), Marítimo-Benfica (20h15) e Belenenses-V. Guimarães (20h30).

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) justifica-se com o calendário das competições. Contactada pelo Governo, e citada pelo DN, a LPFP argumenta que em causa está a “participação das equipas portuguesas em competição europeia na semana anterior”, a “necessidade de acautelamento do intervalo regulamentar de descanso entre jogos de pelo menos 72 horas” e ainda a “obrigatoriedade de libertação de jogadores para as seleções nacionais, no dia 2 de outubro”. A Liga adiantou ainda que alterou a data de outros jogos, referentes à 8º jornada da I Liga e 9º jornada da II Liga, tendo em conta o ato eleitoral.

A 4 de outubro de 2015, nas eleições legislativas, Benfica, Sporting e Porto jogaram e, a 24 de janeiro 2016, por altura das presidenciais, outros três jogos foram agendados — dois à tarde e um à noite.