A Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde está a investigar três agentes da Polícia Nacional (PN) do país por suspeitas de assaltos a residências na ilha de Santiago, confirmou esta segunda-feira o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha.

Em declarações à imprensa cabo-verdiana, o ministro adiantou que os suspeitos, dois deles elementos da Brigada de Investigação Criminal e outro da Polícia Fiscal, podem estar ainda envolvidos em outros crimes.

Paulo Rocha lembrou que a PN cabo-verdiana é uma corporação centenária, com mais de 1.800 efeitos, para sublinhar que este caso não põe em causa a imagem da instituição nem a motivação dos seus funcionários.

“As medidas que tiverem que ser tomadas serão tomadas para o bem da instituição e para a moral de nós todos. Estaremos aqui de pés fincados, isto não afeta e não afetará a corporação”, realçou o governante.

O caso foi revelado pelo semanário “A Nação”, que avançou que os agentes da PN terão sido filmados por câmaras de vigilância durante um assalto a uma casa na cidade da Praia.

O mesmo jornal adiantou que a PJ efetuou buscas nas casas dos três suspeitos na capital cabo-verdiana.