Olho por olho e dente por dente, parece ser a estratégia da Alfa Romeo para se afirmar no mundo dos desportivos. Primeiro apontou armas ao Panamera Turbo, batendo o recorde da berlina alemã com o seu Giulia Quadrifoglio, que assim passou a ser a berlina familiar mais rápida no complexo e difícil circuito de Nürburgring. Agora o alvo é de novo o reputado construtor germânico de desportivos, mas em matéria de SUV.

O Cayenne Turbo S sempre se impôs como o mais desportivo e veloz dos SUV superdesportivos, mas a Alfa Romeo decidiu que o Stelvio era capaz de colocar o seu rival alemão em sentido. Vai daí, pegou na versão mais desportiva do SUV italiano, a Quadrifoglio (QF) – que ainda não está disponível comercialmente e daí que o carro esteja camuflado –, com a mesma mecânica de 510 cv que tinha permitido ao Giulia embaraçar o Panamera, e tratou de atacar o recorde do melhor dos SUV, que pertencia à Porsche.

O objectivo do construtor italiano era bater o seu rival, pelo que a meta estava fixada nos 7 minutos e 59 segundos obtidos pelo Cayenne Turbo S. Mas a guerra favorecia nitidamente a marca alemã, uma vez que o tempo conseguido pelo Cayenne Turbo S foi alcançado por um modelo com 570 cv, capaz de atingir os 100 km/h em 4,1 segundos e a barbaridade de 284 km/h, isto porque está equipado com um enorme V8 com 4,8 litros, soprado (e fortemente) por dois turbocompressores.

10 fotos

O Stelvio não teria uma vida fácil, uma vez que o seu V6, com 2,9 litros, fornece apenas 510 cv, o que aliado à menor capacidade do motor, justifica a menor força debitada. Mas o Stelvio QF é também mais ágil, fruto de ser mais leve, e isso tem vantagens inegáveis em condução desportiva. A marca italiana ainda não revelou o peso da versão mais potente do seu SUV, mas se tivermos em conta que o Giulia Q4, com motor de 280 cv, pesa menos 135 kg do que o Stelvio com mecânica equivalente, é fácil concluir que o Stelvio QF não deverá ultrapassar os 1.825 kg, mais 130 do que o Giulia QF. Isto permite ao Stelvio beneficiar de uma vantagem enorme, uma vez que o Cayenne Turbo S anuncia 2.310 kg, um verdadeiro camião face ao ligeiro SUV italiano, o que obviamente lhe dará vantagens nas acelerações, travagens e velocidade de passagem em curva.

Em resposta aos 7.59 do Cayenne, o Stelvio obteve uns impressionantes 7.51,7, uma ‘sova’ de quase 8 segundos que não deixa muito bem no retrato uma marca que domina há anos nesta classe de veículos e que cobra uma fortuna pelos seus modelos, por serem, alegadamente, os mais rápidos.

A partir de agora, o Alfa Romeo Stelvio Quadrifoglio de 510 cv é o novo rei do Nürburgring, em termos de SUV. Curiosamente, o seu peso e altura superiores levam a que perca 11,7 segundos numa volta ao circuito alemão, para o Giulia, com igual mecânica.