Era capaz de apostar até um milhão de dólares por noite. Tomava Valium para a “ansiedade”, prescrito por um médico a quem pagava para ter “bom acesso”. Passeava de chinelos de enfiar o dedo e fato de treino pelos casinos, onde praticamente vivia, “95% das vezes” de graça, durante viagens que podiam durar “acima de três semanas”. Este era Stephen Paddock, quatro anos antes do ataque de Las Vegas, nas suas próprias palavras.

Em 2013, o homem que anos depois viria a ser o responsável pela morte de 58 pessoas foi depor a tribunal contra o hotel Cosmopolitan. Dois anos antes, Paddock escorregou e caiu num corredor que estava molhado, acabando a processar o hotel. A CNN obteve os depoimentos transcritos dessa mesma sessão, cujos detalhes permitem fazer um retrato de Stephen Paddock, da sua vida e dos seus hábitos.

Na altura com 60 anos de idade, Paddock descreveu-se como “o maior jogador de video-poker do mundo”, afirmando que ninguém “jogava tanto ou durante tanto tempo” como ele. Dormia durante o dia e jogava durante a noite – “14 horas por dia”, todos os dias. As suas estadias nos hotéis dos casinos tinham como único propósito o jogo. Quando questionado pelo juiz se frequentava a piscina do hotel, Paddock simplesmente respondeu “Não apanho sol”.

Paddock disse não ter qualquer tipo de doença mental ou dependência. Contudo, admitiu tomar Valium para a “ansiedade”, medicamento que lhe era prescrito por um doutor ao qual pagava para que este estivesse sempre disponível. Entre os efeitos secundários do Valium destacam-se a possibilidade de irritabilidade, agressividade e raiva.

Vício do jogo

Quando jogava, Stephen Paddock raramente bebia álcool. “Na fasquia em que eu jogo, você quer ter toda a sua perspicácia, ou tanta quanta aquela que eu tenho”, disse. Essa fasquia podia ir até ao milhão de dólares por noite, confessou ao juiz. Este disse que era “muito dinheiro”, o apostador retorquiu com um “não, não é”. A CNN adianta que o transcrito sugere que Paddock se apresentou com uma postura arrogante e sarcástica durante o depoimento.

O meio de comunicação social norte-americano revela ainda que Paddock não detalhou como conseguiu a sua fortuna, mas que adiantou detalhes daquela que tinha sido a sua vida profissional: trabalhou para as Finanças e, mais tarde, investiu em imóveis.

Stephen Paddock, o atirador de Las Vegas, foi responsável pela morte de 58 pessoas e por mais de 500 feridos após ter baleado uma multidão que assistia a um concerto num festival de country. Paddock encontrava-se no 32º andar do hotel Mandalay Bay, no qual tinha um arsenal de mais de 30 armas. Novos detalhes adiantados pelo xérife do condado de Clark, Joseph Lombardo, sugerem que o ataque do atirador se iniciou mais cedo do que se pensava.

Antes de atirar indiscriminadamente contra a multidão que assistia ao concerto, Paddock baleou e feriu um segurança que tinha ido ao andar onde ele se encontrava após ter ouvido barulhos de perfuração vindos do quarto em que ele estava. Graças ao sistema de videovigilância que montou antes do ataque, o atirador foi capaz de antecipar a chegada do segurança, que apenas ficou ferido na perna. Seis minutos depois, Stephen Paddock iniciou o ataque à multidão.