O presidente da Comissão Europeia, Jean Claude Juncker, considerou esta sexta-feira que a União Europeia “não precisa de mais fissuras, de mais fraturas”, comentando a declaração de independência decretada esta tarde pelo Parlamento da Catalunha, esta tarde.

Não quero que a União Europeia seja amanhã composta por 95 Estados membros“, disse o líder europeu aos repórteres que o acompanham numa viagem à Guiana francesa, onde está também o Presidente francês.

Na mesma linha, o presidente do parlamento europeu também rejeitou a independência da região da Catalunha, escrevendo na rede social Twitter que “ninguém na União Europeia vai reconhecer essa declaração“.

Já horas antes, o presidente do Conselho da UE, Donald Tusk, defendeu que a Espanha continua a ser “a única interlocutora” da União Europeia (UE), após o parlamento da Catalunha aprovar a declaração de independência. “Para a UE, nada mudou. A Espanha continua a ser a nossa única interlocutora”, escreveu Tusk na sua conta do Twitter, apelando ao Governo espanhol que escolha “a força do argumento e não o argumento da força”.

O parlamento regional catalão (Parlament) aprovou esta sexta-feira a independência da Catalunha, com 70 votos a favor, 10 contra e dois votos em branco. Pouco depois, o senado de Espanha autorizou, por maioria absoluta, o governo de Madrid a aplicar o artigo 155.º da Constituição, que suspende a autonomia da região.