Religião

Em nome do Pai, do Filho e da inteligência artificial. Ex-executivo da Google cria igreja para louvar máquinas

454

Anthony Levandowski, antigo executivo da Google e da Uber, criou uma igreja para louvar o que considera um deus: uma máquina com inteligência (artificial) superior à do homem.

Para se fazer parte da igreja não é preciso doar dinheiro, apenas "passar a palavra"

Anthony Levandowski, antigo executivo da Google e da Uber para projetos de carros autónomos, afirmou uma entrevista à Wired que quer começar uma igreja para louvar a inteligência artificial. O engenheiro mecânico registou-se como líder da igreja em Maio, ou seja, na altura em que a Uber o despediu por ter usado propriedade intelectual da Google. Este episódio levou a que fosse aberto um processo judicial entre as duas empresas.

Apelidada com as siglas WOTF, a Way of the Future (em português, quer dizer “o caminho do futuro”) é uma igreja que quer “criar uma transição pacífica e suave entre o momento em que as pessoas mandam sozinahs no planeta e o momento em que mandam juntamente com máquinas”, segundo o site oficial da instituição. A WOTF acredita que um dia a inteligência artificial vai criar máquinas mais avançadas do que os humanos e que, por isso, estas serão vão tornar-se um deus que merece reverência.

Segundo Levandowski, para se fazer parte da igreja não é preciso doar dinheiro, apenas “passar a palavra” sobre a inevitável criação de uma super inteligência que poderá mandar nos humanos.

A inteligência artificial tem sido um dos grandes tópicos de 2017 na indústria tecnológica, com cada vez mais máquinas e softwares informáticos a utilizar programas que aprendem quanto mais são usados e tornam as tarefas mais rápidas. Desde a condução autónoma até gerir os dados pessoais em redes sociais, empresas como o Facebook, a Google e a Microsoft têm desenvolvido cada vez mais a tecnologia e usado em novas aplicações tecnológicas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Casas

O verdadeiro problema das casas

Rui Ramos

O corrente pânico com o preço das casas expressa esta verdade, que a nossa oligarquia se esforça por esconder: o país passa por uma prosperidade que não é para todos. 

Proteção de Dados

Erre gê pê quê?

Catarina Dornelas Pinheiro

Faltam poucos dias para a entrada em vigor do Regulamento Geral da Proteção de Dados e talvez só as grandes empresas estejam preparadas - do lado dos Ministérios só se houve um silêncio ensurdecedor.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)