O Partido Socialista (PS) excluiu José Sócrates da lista de convidados para as cerimónias da Assembleia da República que assinalam os dez anos de assinatura do Tratado de Lisboa, avança esta quarta-feira o jornal i.

Apesar desta exclusão, outros membros do governo que era então liderado por Sócrates não foram esquecidos. Entre os convidados para a sessão no Parlamento estão os nomes de Luís Amado, então ministro dos Negócios Estrangeiros, e Paulo de Almeida Sande, que era o representante do Parlamento Europeu em Portugal.

Os nomes, ao que o jornal apurou, obtiveram consenso entre os partidos na comissão parlamentar dos Assuntos Europeus. O PSD inicialmente terá proposto José Manuel Durão Barroso, ex-primeiro-ministro e antigo presidente da Comissão Europeia, que alegou compromisso internacional para falhar as cerimónias.