Rui Rio

Rui Rio diz que não vai “colaborar numa trapalhada” e mantém-se disponível para dois debates

252

Um dia depois de Santana Lopes ter passado a defender a realização de três debates -- algo que Rio considera uma "novela" -- a candidatura do portuense mantém-se apenas disponível para dois debates.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Uma “novela”. É assim que Rui Rio classifica a mudança de posição de Pedro Santana Lopes quanto ao número de debates a realizar entre ambos os candidatos à liderança do PSD. A candidatura de Rio anunciou esta quarta-feira que está disponível “como sempre esteve, para fazer os dois debates acordados, na RTP e na TVI“, diz o comunicado enviado esta quarta-feira.

Rui Rio diz que “não vai continuar a alimentar esta temática” e propõe realizar os dois debates “de acordo com a disponibilidade demonstrada pelo próprio dr. Pedro Santana Lopes” com a TVI, já que o debate na RTP já está fechado.

Rui Rio decidiu que não vai continuar a alimentar esta temática, não estando disponível para colaborar numa trapalhada que, em nada, contribui para prestigiar este ato eleitoral”, pode ler-se no comunicado.

É que esta terça-feira Pedro Santana Lopes propôs três debates nos três canais — RTP, TVI e SIC — “por forma a não excluir nenhuma das televisões generalistas”: um primeiro “já na próxima semana, o segundo na semana seguinte – entre o Natal e o Ano Novo – e o último na primeira semana de janeiro”. A proposta de Pedro Santana Lopes acontece depois de já terem sido acordados dois debates em dois canais: RTP e TVI.

Pedro Santana Lopes vai realizar uma convenção em janeiro para apresentar as linhas gerais do programa da sua candidatura à liderança do PSD.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
Rui Rio

Políticos à beira mar plantados

António Valle

Costa quer surgir, aos olhos dos portugueses, como o grande agregador moderado da política nacional. Rio quer parecer, aos olhos de Costa, o seu novo pequeno parceiro que apenas quer uns lugarzinhos.

PSD

O vice-primeiro-ministro Rui Rio

Luís Rosa
369

Rui Rio é mesmo o vice-primeiro-ministro ideal. É útil, diligente, prático e discreto. Em suma, Rio tem um valor político objetivamente superior a qualquer ministro e faz brilhar António Costa.

Rui Rio

O regime da irresponsabilidade

Rui Ramos
333

Tal como o PS apagou as suas responsabilidades na bancarrota de 2011, o PSD pretende apagar as suas responsabilidades na saída limpa de 2014. Daí os "acordos" desta semana.

Operação Marquês

Porque é que só há uma Ana Gomes?

Rui Ramos

A sociedade portuguesa gera rotação no poder quando o dinheiro acaba, como vimos em 2002 ou em 2011. Mas já não gera alternativas, como constatámos em 2015 com o regresso dos colegas de Sócrates.

Assembleia Da República

Teoria geral do inconseguimento

Laurinda Alves

Todos sabemos que uma coisa é a lei e outra a ética. A cegueira moral pode ser legislada, mas a ética tudo vê e tudo sabe. A lei permite, mas a consciência não. Essa é a voz que nunca se cala.

Corrupção

Traição à pátria

Paulo de Almeida Sande

Quando nos perguntamos por que razão Portugal se arrasta na cauda da Europa parte da resposta é o BES, os Vistos Gold, o Face Oculta, o BPN, a PT, a operação Marquês, a Moderna, o Freeport, etc., etc.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site