Rádio Observador

Nissan

Leaf com 60 kWh vai bater o pé ao Tesla Model 3

508

Se, em 2018, o Nissan Leaf vai atacar os mercados de ambos os lados do Atlântico, para o próximo ano prepara-se para enfrentar o Tesla Model 3, com uma bateria maior (60 kWh) e um motor de 218 cv.

O Nissan Leaf ainda é o eléctrico mais vendido no planeta, apesar de ter perdido essa posição no mercado europeu para o seu colega (da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi) Zoe. Mas tudo indica que o título de maior do mundo, no que respeita à locomoção a electricidade fornecida por baterias, deverá cair nas mãos da Tesla, assim que esta perceber como produzir o Model 3 nas quantidades previstas, de que depende para sobreviver. Contudo, os japoneses não estão dispostos a abrir mão da liderança sem dar luta. Este ano, querem vender o novo Leaf em todos os países, para em 2019 estarem em posição de disputar o mercado, taco a taco, com o mais barato dos Tesla.

Para a Nissan a situação não podia ser mais simples: se os clientes compram o Model 3 pela sua elevada potência, maior autonomia e generosa capacidade de aceleração, então o Leaf vai ser capaz de oferecer isso mesmo. Por isso, se este ano o eléctrico vai começar a inundar o mercado com a versão mais acessível, com bateria de 40 kWh, motor de 150 cv e uma autonomia de 380 km, segundo o ciclo NEDC (241 km, de acordo com a norma americana EPA ), a Nissan prepara já uma versão com mais 50% de bateria e potência a condizer, visando fornecer um eléctrico que seja mais rápido e vá mais longe.

Leaf melhor que Model 3?

Previsto chegar em 2019, o Leaf com uma capacidade de energia de 60 kWh (em vez dos actuais 40 kWh) montará um motor de 218 cv (em vez de 150 cv), o que lhe vai permitir atingir 100 km/h em somente 6,5 segundos (em vez de 8,6). Estes valores permitem ao Leaf de 60 kWh bater o Opel Ampera-E (o Chevrolet Bolt dos EUA), que reivindica a mesma capacidade de bateria, mas possui 204 cv e cumpre os 100 km/h em 7,3 segundos.

Quanto à autonomia, enquanto o Leaf de 40 kWh anuncia 380 km na homologação NEDC, o de 60 kWh deverá ir substancialmente mais longe, com apenas uma carga. À falta de valores referentes ao ciclo NEDC, podemos basear-nos na norma americana EPA, que anuncia 241 km para a versão de 40 kWh e prevê 362 km para a de 60 kWh, o que na norma NEDC deverá equivaler a mais de 500 km de autonomia para o Leaf de 60 kWh.

Comparado com o Tesla Model 3, o Leaf com bateria e motor mais generosos é de longe o modelo que mais se aproxima do rival americano, sendo que ainda não foi divulgada a potência (que a EPA estima em 258 cv) do mais barato dos Tesla nem a sua capacidade de bateria (calcula-se que a normal tenha 60 kWh e a Long Range 75 kWh). Sabendo-se, isso sim, que existirão dois níveis distintos para ambos. Isto permite ao Model 3 anunciar 0-100 km/h em 5,1 e 5,6 segundos, além de uma autonomia de 354 km e 499 km, sempre segundo a norma EPA, que faz equivaler o Tesla com a bateria mais pequena (deverá ser de 60 kWh) ao mais possante dos Leaf.

A nova versão do Nissan eléctrico, com mais capacidade de bateria, vai recorrer a acumuladores da LG Chem, e possui um carregador interno de 6,6 kW a 22 kW (em AC, corrente alterna), ou até 100 kW, se ligado a um sistema de corrente contínua (DC). Isto representa um considerável passo em frente em termos de velocidade de carga, assegurando que o Leaf pode atingir 80% de carga em somente 20 minutos. Além da melhoria na velocidade de carga, o Leaf de 60 kWh prevê um incremento no preço de apenas 5.000 €, face à versão de 40 kWh, o que é certamente tentador para os que não desejam ser muito limitados por constantes operações de recarga.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
Minas

O lítio. Contra a desinformação marchar, marchar!

Filipe Anacoreta Correia
802

A extração do lítio não representa um retorno elevado e a acontecer seria o mais grave atentado à riqueza do nosso país: o desenvolvimento sustentável e a preservação do seu património natural.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)