Actualmente uma das propostas que mais vende na Europa – onde é 2º, logo atrás do Golf -, o Renault Clio é igualmente uma das mais antigas no segmento europeu dos utilitários. Mas está apostado em continuar a aliciar um cada vez maior número de clientes, pelo que deverá ver a sua nova geração apresentada em Setembro, no Salão de Paris, com enfoque muito particular na eficiência e no conforto.

Segundo avança a AutoExpress, o novo Clio terá por base uma versão melhorada da actual plataforma CMF-B, que partilha com o Micra, e passará a dispor de uma variante mais evoluída do actual 0,9 litros turbo (TCe) a gasolina, além do novo 1.3 Turbo, com vários níveis de potência. Espera-se também a estreia de uma versão semi-híbrida, combinando um motor a gasolina com um sistema eléctrico de 48V para oferecer consumos e emissões ainda mais contidos.

A AutoExpress adianta igualmente que a Renault deverá fazer um esforço no sentido de reduzir o peso do novo Clio, deitando mão a uma maior utilização do alumínio na construção, vidro mais fino, além de um sistema de travagem mais simples e leve.

Já no domínio da tecnologia, é esperada a introdução de algumas soluções de condução autónoma mais básicas, como o cruise control adaptativo e o sistema de manutenção na faixa de rodagem, por exemplo.

6 fotos

No capítulo da estética, o futuro utilitário francês deverá manter as linhas gerais do actual, embora com uma aproximação, em termos estilísticos (por exemplo, através da adopção da iluminação dianteira com formato em ‘C’), aos modelos mais recentes da marca, como o Mégane ou o Talisman.

Já no habitáculo são esperadas alterações bem mais substanciais. Por exemplo, através da introdução de um ecrã táctil para o sistema de informação e entretenimento idêntico ao já existente nos modelos mais “jovens”. Sendo que o director de design da marca francesa, Laurens van den Acker, também já prometeu materiais de melhor qualidade para o interior, de modo a proporcionar a bordo sensações mais próximas dos modelos premium.