O Governo quer avançar com novas medidas, mais propriamente incentivos fiscais, para reduzir o consumo de plástico no país. A hipótese de uma espécie de tara perdida não está fora do plano, bem como a substituição dos materiais de plástico na restauração. Os ministérios do Ambiente e da Economia estão já a estudar formas de combater o consumo de plástico, aguardando a publicação em Diário da República. As propostas de medidas a adotar serão apresentadas até final de maio.

O secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, disse, em declarações à TSF, que a obrigatoriedade de pagar os sacos de plástico — medida introduzida durante o anterior Governo — é positiva, mas está longe de resolver o problema na sua totalidade. Afirmou ainda que o Executivo pretende ir além da estratégia europeia, e olhar com especial atenção para as compras feitas na internet, onde, por razões de segurança e saúde pública, quase tudo vem com muitos sacos de plástico. A ideia é, assim, estudar a introdução de incentivos para a reutilização ou devolução dos sacos de plástico, uma espécie de tara perdida.

Para além disto, a utilização de materiais plásticos ao nível da restauração é também um aspeto a ter em conta. Carlos Martins reforçou que é possível substituir os plásticos dados aos consumidores por produtos de papel-cartão, tal como acontece já em muitas regiões do globo.

O secretário de Estado disse, contudo, que todas as ideias serão agora discutidas no grupo de trabalho nomeado pelo Governo e que é necessário esperar pelas conclusões, que até final de maio serão então apresentadas.