O inventor dinamarquês Peter Madsen foi formalmente acusado do homicídio da jornalista sueca Kim Wall, que a terá “degolado ou estrangulado” a bordo do submarino que construiu, anunciou esta terça-feira o procurador responsável pelo caso.

Jakob Buch-Jepsen, procurador do tribunal de Copenhaga, disse que o caso é “muito invulgar e extremamente violento”. Madsen é acusado de homicídio e de profanação de cadáver.

O inventor, que em agosto de 2017 convidou a jornalista para uma viagem a bordo do submarino, alegou que ela morreu acidentalmente no interior da embarcação quando ele estava no convés, mas admitiu ter desmembrado o corpo e atirado as partes ao mar, ao largo da Dinamarca.

O corpo desmembrado da jornalista foi encontrado depois de uma visita de Kim Wall ao submarino de Peter Madsen, no final de agosto, para uma entrevista.

O tronco foi encontrado a 21 de agosto numa ilha perto de Copenhaga. A cabeça e as pernas foram encontradas dias depois.

Peter Madsen foi ainda acusado de relações sexuais de “natureza particularmente perigosa”

O julgamento foi marcado para 8 de março e o veredicto é esperado a 25 de abril.