Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O antigo responsável pela campanha de Donald Trump, Paul Manafort, está a ser alvo de novas acusações por parte do procurador especial Robert Mueller. Segundo o Washington Post, novos indícios foram apresentados, aumentando a pressão legal à medida que se aproxima o julgamento previsto para o final do ano. Em causa estão suspeitas de fraude e branqueamento de capitais que envolvem também o seu braço direito Rick Gates.

Manafort foi o presidente da campanha do atual presidente americano entre junho e agosto de 1016, processo no qual participou também Rick Gates. A nova acusação contem 32 alegações, incluindo irregularidades fiscais. Estas novas acusações surgem num momento de grande incerteza neste caso, nomeadamente no que toca à data do julgamento ou quem vão ser os advogados de defesa. A juíza Amo Berman Jackson já criticou os dois lados deste processo por causa do que qualifica de “atrasos inaceitáveis”.

Manaforte e Gate foram objeto de 12 acusações em outubro, incluindo as primeiras acusações criminais na investigação do procurador Robert Mueller às interferências russas nas eleições presidenciais americanas. Essas acusações estavam focadas nas transações financeiras que envolve o trabalho realizado por Manafort e Gate para um partido político ucraniano, sem avisar as autoridades americanas que estavam a aturar como lobistas para um Governo estrangeiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR