Rádio Observador

Incêndios

Agricultores protestam esta quarta-feira em Coimbra e exigem mais apoios

Os agricultores afetados pelos incêndios de 2017 pedem a reabertura das candidaturas aos apoios e exigem que o prazo para limpeza de terrenos, 15 de março, quinta-feira, seja congelado.

PAULO NOVAIS/LUSA

Agricultores e produtores florestais afetados pelos incêndios de 2017 protestam esta quarta-feira, em Coimbra, para reclamarem mais apoios do Governo após os avultados prejuízos decorrentes daqueles fogos.

O protesto, convocado pela Comissão Inter-Concelhos dos Agricultores e Produtores Florestais Lesados pelos Incêndios, está marcado para as 10h30, junto à delegação da Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Centro, em Coimbra, informou a ADACO — Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra, em nota enviada à agência Lusa.

Durante a concentração, está prevista uma “ação de sensibilização da opinião pública” e a organização do protesto também já solicitou ao ministro da Agricultura, Capoulas Santos, a sua presença na delegação da DRAP do Centro, para lhe ser entregue “um caderno de reclamações”.

Segundo a ADACO, há “milhares de produtores agrícolas que não conseguiram fazer as suas candidaturas” por terem sofrido queimaduras, terem estado ausentes do país ou longe das suas terras. A maioria dos “estrangeiros residentes na região do interior”, por desconhecimento, não se candidatou às ajudas de apoio à agricultura ou à habitação, defende também esta organização.

Os agricultores defendem a “imediata reabertura das candidaturas simplificadas até ao final de junho”, a divulgação de “informação concreta aos agricultores da razão dos cortes” nos apoios dados, a “reabertura das candidaturas em inglês” para facilitar o acesso à informação pela comunidade estrangeira e a abertura de candidaturas a concelhos afetados noutros incêndios de 2017, como é o caso de Mação e Coimbra.

Para além disso, os agricultores alertam para o facto de que o Governo “não garante qualquer ajuda para o corte da floresta e para a sua limpeza por parte dos produtores florestais”, pedindo também medidas de apoio para a florestação e replantação, incluindo em áreas de baldios.

Relativamente à limpeza das florestas até quinta-feira, os agricultores consideram o prazo “impraticável” e exigem, “no mínimo, o seu congelamento, pelo menos enquanto o Governo não instalar balcões únicos previstos na reforma das florestas”, refere a nota de imprensa da ADACO.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Jesus Cristo

Santos da casa também fazem milagres! /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
152

Todas as casas reais peninsulares descendem do profeta Maomé. Há uns séculos, este parentesco era muito indesejável mas ainda poderá ser de grande utilidade, se a Europa for ocupada pelo Islão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)