Os escritórios da 21st Century Fox em Londres foram alvo de buscas esta terça feira, nas quais foram apreendidos documentos e computadores. A ação levada a cabo por funcionários da Comissão Europeia tem como objetivo investigar o potencial abuso da posição dominante da empresa na transmissão de eventos desportivos. Além da Fox, a Comissão Europeia informou ainda que realizou uma série de “inspeções inesperadas” noutras empresas relacionadas com direitos de transmissão desportiva.

A Comissão Europeia confirma que no dia 10 de abril os seus funcionários realizaram inspeções sem aviso prévio em vários estados membros, nas instalações de empresas presentes na distribuição de direitos relacionados com eventos desportivos e/ou a sua transmissão. Estas inspeções são o primeiro passo na suspeita de práticas anticoncorrenciais”

Através de um porta-voz, a Fox Networks Group, a unidade operacional da Fox que distribui os canais e conteúdo por todo o mundo, disse que “está a colaborar totalmente com a inspeção”. A Comissão Europeia está preocupada com o facto de que a Fox e outras empresas possam ter “violado as leis da concorrência que proíbem a constituição de cartéis”.

Esta preocupação também já tem vindo a ser sublinhada pela Autoridade da Concorrência do Reino Unido, que tem vindo a adiar o negócio que levaria a Fox a comprar os 61% da Sky que ainda não detém. Os receios são de que, a concretizar-se a operação, a família Murdoch fortaleça o seu controlo na comunicação social, aumentando assim a sua capacidade de influência na opinião pública e na agenda política.

Quem pode ajudar nesta operação é a Disney, que já disse que quer comprar a Sky News por pouco mais de mil milhões de euros, algo que permitiria salvaguardar a independência do canal de notícias da Sky. Ao mesmo tempo, a compra da 21st Century Fox por 52 mil milhões de euros também é uma hipótese que está em cima da mesa para a Dinsey.