Um dia depois de ter colocado a Rússia e a Síria sob alerta para um eminente ataque com mísseis naquele país do Médio Oriente, o Presidente dos EUA admite que intervenção norte-americana pode não estar tão perto quanto isso — mas também refere que esta pode acontecer a qualquer momento.

Eu nunca disse quando é que seria o ataque na Síria. Pode ser muito brevemente ou não! De qualquer das formas, durante a minha administração, os EUA fieram um excelente trabalho ao livrar o Estado Islâmico da região. Onde é que está o nosso ‘Obrigado, América?’?”, escreveu no Twitter, esta quinta-feira de manhã.

Esta quarta-feira, Donald Trump escreveu um tweet onde ameaçou a Rússia e a Síria com ataques com mísseis. “A Rússia prometeu abater todo e qualquer míssil disparado contra a Síria. Prepara-te, Rússia, porque eles vão chegar, bonitos, novos e ‘inteligentes’! Vocês não deviam ser amigos de um animal que gosta de matar o seu povo com gás!”, escreveu o Presidente dos EUA, dois dias depois de ter dado um prazo de “24 a 48 horas” para reagir a um alegado ataque químico atribuído à Rússia e ao Irão, que resultou na morte de mais de 40 pessoas na cidade de Douma, em Ghouta Oriental.

O anúncio de Donald Trump surgiu poucas horas depois de uma alta patente militar ter garantido que a região de Ghouta Oriental voltou a estar totalmente sob controlo das tropas de Bashar al-Assad e dos seus aliados, depois de ter sido ali formado em 2012 um dos mais fortes bastiões dos rebeldes sírios.

Rússia garante que Assad já tem controlo total sobre Ghouta Oriental