Rádio Observador

Espanha

La Manada. Juízas enviam carta a vítima: “Que não te passe pela cabeça qualquer espécie de culpa”

175

Três juízas escreveram uma carta à jovem violada nas festas de São Firmino. Defendem que os 5 homens deviam ter sido condenados por violação e não por abuso sexual (o que justificou penas mais leves).

Várias manifestações foram realizadas depois dos arguidos terem sido condenados por abuso sexual e não por violação

Getty Images

“As pessoas protestaram porque consideraram que estamos perante uma violação e nisso concordamos”. A revolta contra a decisão do juiz que apenas condenou por abusos sexuais e não por violação o grupo de jovens conhecido por “La Manada” continua. Depois de várias manifestações que levaram milhares de pessoas a sair à rua em Espanha, três juízas espanholas escreveram agora uma carta à jovem que foi violada durante as festas de São Firmino, em 2016.

O que prevê o Código Penal espanhol?

Para se considerar que houve agressão sexual, segundo o artigo 178 do Código Penal espanhol, exige que o atentado contra a liberdade sexual tenha sido feito com violência ou intimidação. Havendo penetração, a agressão é considera

“Quando a agressão sexual consiste no acesso carnal por via vaginal, anal ou oral, ou introdução de elementos corporais ou objetos por alguma dessas vias, o responsável será castigado por estupro com pena de prisão de seis a 12 anos“, refere o artigo 179 do Código Penal espanhol.

Já os abusos sexuais, quando não há violência ou intimidação, são castigados com penas de prisão de um a três anos ou multa de 18 a 24 meses, nos casos mais simples, ou de quatro a 10 anos quando há penetração.

El Pais

As juízas Dalila Dopazo, Nekane San Miguel e Angels Vivas discordam da sentença do juiz que condenou os cinco homens não por violação mas por abuso sexual, justificando que recebessem penas mais leves. Para as juízas, “os dados objetivos sustentam, reforçam e assentam na ideia clara e que poucas explicações merecem” de violação.

Os arguidos, José Ángel Prenda, Alfonso Cabezuelo, Antonio Manuel Guerrero, Jesús Escudero e Ángel Boza foram condenados a nove anos de prisão, a uma indemnização de 50 mil euros e impedimento de contactar a jovem vítima durante cinco anos. O Ministério Público pedia 22 anos de prisão e a vítima 24. Os advogados de defesa pediam absolvição.

Uma vez descritos alguns fatos comprovados como aqueles que lemos, é impossível as pessoas se contentarem em chamar abuso a esses fatos”, pode ler-se na carta publicada na revista de política Viento Sur.

Na carta, as juízas enviaram uma mensagem de coragem à vítima: “Gostaríamos que não pensassem que depois do que te fizeram vás ficar com sequelas para o resto da tua vida. Não tem que ser assim”. E fizeram um pedido: “Que não te passe pela cabeça qualquer espécie de culpa”. “És jovem e corajosa e nota-se que tens em teu redor gente que te ajuda e que gosta de ti”, escrevem ainda as juízas.

Na carta, as juízas não deixam de pedir desculpa pela “audácia de pensar que, tendo sido dito tantas coisas” sobre a sentença do passado dia 26 de abril, ainda podem “contribuir com alguma coisa”. “Desculpa por sentirmos necessidade de contar nossa leitura da sentença“, escrevem as três juízas.

Na madrugada de 7 de julho de 2016, durante as Festas de São Firmino — que acontecem todos os anos entre 6 e 14 de julho na cidade espanhola de Pamplona — uma jovem de 18 anos foi violada por cinco rapazes. O caso ficou conhecido por “La Manada” por ser o nome do grupo no WhatsApp que os rapazes usavam para comunicar e onde elaboravam os planos para violar jovens.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
União Europeia

Impasses sem fim à vista /premium

Manuel Villaverde Cabral

Os impasses político-ideológicos no Reino Unido e em Espanha acabarão por ter consequências negativas para nós, quanto mais não seja no pleno dos desequilíbrios económicos que arrastarão.

Cooperação económica

De braço dado com Angola

José Manuel Silva

O momento político angolano é propício à criação de laços baseados na reciprocidade e na igualdade de tratamento, sem complexos de nenhuma espécie. A história foi o que foi, o presente está em curso.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)