Rádio Observador

Presidente Trump

Donald Trump cancela a cimeira com a Coreia do Norte

Em carta enviada a Kim Jong-un, divulgada pela Casa Branca, o presidente norte-americano diz sentir que não é apropriado realizar o encontro nesta altura. Trump fala em "raiva tremenda" e hostilidade.

Yuri Gripas / POOL/EPA

Donald Trump cancelou o encontro com Kim Jong-un, marcado para 12 de junho. Em carta enviada ao líder norte-coreano, divulgada esta quinta-feira pela Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos da América diz que não sente ser apropriado realizar uma cimeira “nesta altura”.

Agradecendo “o tempo, paciência e esforço” dispensado “com as recentes negociações e discussões” relativas à cimeira de 12 de junho, Trump afirma que, “infelizmente” e “com base na raiva tremenda e aberta hostilidade demonstradas no mais recente comunicado” de Kim Jong-un, não será possível realizar o encontro. “Deixe que esta carta irva para mostrar que a cimeira de Singapura, para o bem dos dois lados, mas para o deterimento do mundo, não irá acontecer.”

“Fala das vossas capacidades nucleares, mas as nossas são tão massivas e poderosas que rezo a Deus para que nunca sejam usadas”, ameaça Trump.

Documento divulgado pela Casa Branca

Na carta, com data desta quinta-feira, Trump diz ter sentido que se estava a ser construido “um diálogo fantástico” com Kim, e que isso é a única coisa que interessa. “Espero poder encontrar-me consigo um dia”, afirma, agradecendo a “libertação de refés” norte-americanos “que agora estão em casa com as suas famílias”. “Foi um gesto bonito que foi muito apreciado.”

“Se mudar de ideias, telefone-me”

Apesar do cancelamento do encontro, Donald Trump não põe de lado a hipótese de uma reconsiliação entre as duas partes, dizendo a Kim para lhe ligar “se mudar de ideias”.

“Se mudar de ideias em relação a esta cimeira importante, por favor não hesite em telefonar-me ou em escrever-me. O mundo, e a Coreia do Norte em particular, perdeu uma grande oportunidade de conseguir uma paz duradoura, uma grande prosperidade e riqueza”, considerou o presidente norte-americano, classificando esta “oportunidade falhada” como um “momento verdadeiramente triste na História”.

O anúncio desta quinta-feira surge depois de Trump ter admitido que havia uma“possibilidade substancial” de a histórica cimeira com Kim Jon-un ser adiada. A declaração foi feita na terça-feira depois de uma reunião com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, na Casa Branca, e Trump deixou claro na altura que a cimeira de Singapura tinha “de acontecer” e que iria beneficiar em muito a Coreia do Norte, país que devia “aproveitar a oportunidade”.

A carta que Trump enviou a Kim na íntegra

O presidente dos EUA, Donald Trump, enviou uma carta com três parágrafos. Aqui está a carta, na íntegra, em português:

maio, 24 2018

Sua excelência

Kim Jong-un

Presidente da Comissão dos Assuntos de Estado da República Popular Democrática da Coreia

Pyongyang

Caro Sr. Presidente:

Agradecemos imenso o seu tempo, paciência e o esforço que desempenhou nas recentes negociações e discussões que tivemos relativamente à cimeira que era há muito desejada por ambas as partes, que estava agendada para 12 de junho, em Singapura. Fomos informados de que a reunião foi pedida pela Coreia do Norte, mas isso para nós é totalmente irrelevante. Estava muito ansioso para me encontrar lá consigo. Infelizmente, tendo em conta a tremenda raiva e a hostilidade que demonstrou na sua declaração mais recente, sinto que é inapropriado, neste momento, termos essa reunião que estava há muito planeada. Portanto, peço-lhe que esta carta sirva para lhe comunicar que, a bem de ambas as partes, mas com prejuízo do mundo, o encontro de Singapura não se vai realizar. Você fala sobre as vossas capacidades nucleares, mas as nossas são tão massivas e poderosas que eu rezo a Deus que nunca tenhamos que as usar. 

Senti que estávamos a construir um bom diálogo e, em última análise, só esse diálogo interessa. Gostaria de encontrar-me consigo um dia. Até lá, quero agradecer-lhe a libertação dos reféns que estão agora em casa com as suas famílias. Foi um gesto bonito e muito apreciado.

Se mudar de ideias em relação a este importantíssimo encontro, por favor não hesite em ligar-me ou escrever-me. O mundo e a Coreia do Norte, em particular, perderam uma grande oportunidade de chegar à paz duradoura e a grande prosperidade e riqueza. Esta oportunidade perdida é um momento verdadeiramente triste na História. 

Atenciosamente,

Donald J. Trump

Presidente dos Estados Unidos da América

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)