O Bloco de Esquerda quer que as touradas deixem de ser financiadas pelo Estado e que a transmissão televisiva das mesmas seja acompanhada de bolinha vermelha no canto, de acordo com dois projetos de lei entregues no Parlamento. As propostas vão ser discutidas a 6 de julho em conjunto com uma do PAN, lê-se na edição impressa desta terça-feira do Diário de Notícias (sem link disponível).

A primeira proposta do Bloco “impede o apoio institucional à realização de espetáculos que inflijam sofrimento físico ou psíquico ou provoquem a morte de animais”, ou seja, nenhum tipo de apoio público do governo ou de autarquias pode contribuir para estas práticas — quer seja a atribuição de subsídios, aplicação de isenção de taxas a que o evento seja sujeito ou a “cedência de palcos e outros recursos”.

A segunda proposta determina que os espetáculos são “suscetíveis de influírem negativamente na formação da personalidade de crianças e adolescentes”, pelo que o Bloco quer limitar a transmissão dos espetáculos ao período entre as 22h30 e as 06h00, sempre acompanhada do “identificativo visual apropriado”, isto é, a bolinha vermelha.

O PAN vai mais longe e quer a “abolição de corridas de touros em Portugal”, sem qualquer exceção. Maria Manuel Rola, deputada do Bloco, considera que a vontade expressa pelo projeto do PAN é boa, mas defende que o da sua bancada acrescenta “a forma” como se pode caminhar e evoluir para a total supressão das touradas.