Estados Unidos da América

EUA: Centenas de crianças estão em celas, separadas dos pais imigrantes

649

São 20 crianças ou mais por cela, que têm garrafas de água, pacotes de batatas fritas e grandes folhas de papel como cobertores. Cerca de duas mil crianças foram retiradas aos seus pais imigrantes.

A guarda de controlo de fronteira assegurou que as pessoas detidas têm refeições adequadas, acesso a casas de banho e cuidados médicos

LARRY W. SMITH/EPA

Centenas de crianças, filhas de imigrantes, estão separadas dos pais em celas nas instalações da guarda de controlo de fronteira no sul do Texas, nos Estados Unidos, noticiou este domingos a agência AP.

Em cada cela há 20 ou mais crianças, que têm garrafas de água, pacotes de batatas fritas e grandes folhas de papel como cobertores.

A guarda de controlo de fronteira norte-americana autorizou este domingo os jornalistas a fazerem uma breve visita às instalações, onde se encontram adultos e crianças depois de terem sido detidos na fronteira com o México, mas não foram autorizados nem a entrevistar os detidos nem a tirar fotografias.

Cerca de duas mil crianças foram retiradas aos seus pais desde que a administração do Presidente Donald Trump anunciou “tolerância zero” à entrada de pessoas nos Estados Unidos sem autorização legal.

A guarda de controlo de fronteira assegurou que as pessoas detidas têm refeições adequadas, acesso a casas de banho e cuidados médicos.

Em declarações à televisão CNN, a diretora de comunicação da primeira-dama norte-americana disse que Melania Trump “odeia ver crianças separadas das suas famílias” e “espera que os dois lados do Congresso possam finalmente chegar a acordo sobre uma reforma da imigração bem-sucedida”. “Ela [a primeira dama] acredita que temos de ser um país que segue todas as leis, mas também um país com governa com o coração.”

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)