Agora que as taxas de juro dos novos créditos à habitação estão nos mínimos mais baixos de que há registo — 1,41% em maio passado, em média, segundo o Banco de Portugal —, quem compra casa procura outras vantagens além dos custos reduzidos. Maximizar o montante financiado pode ser uma delas.

A maioria dos 29 grupos bancários que preveem conceder financiamento para a compra de casa não empresta mais de 80% do valor do imóvel. Todavia, nos últimos meses, algumas entidades começaram a subir o montante máximo financiado. Agora, alguns consumidores podem conseguir que um banco lhe financie a totalidade do valor de compra.

O EuroBic empresta até “100% do valor do investimento”, desde que esse montante não ultrapasse “90% do valor da avaliação” do imóvel, de acordo com o preçário da instituição, atualizado a 3 de julho de 2018. Assim, o EuroBic pode emprestar 100 mil euros a um cliente que queira comprar uma habitação própria por 100 mil euros, se a avaliação bancária apontar para um valor superior a 111.111,11 euros, por exemplo.

No início deste mês de julho, entrou em vigor uma recomendação do Banco de Portugal que impõe um empréstimo máximo de 90% do menor entre a avaliação e preço de compra nos financiamentos para aquisição de habitação própria.

O EuroBic não está sozinho nos empréstimo superiores a 80% do valor da casa. O Crédito Agrícola e a sucursal portuguesa da Unión de Créditos Inmobiliarios (UCI) fornecem crédito até 90% do preço de aquisição, desde que o valor de avaliação bancária seja igual ou superior a esse montante. O Santander Totta também pode emprestar até 90% do preço de compra, mas atribui um teto máximo de 85% do valor de avaliação.

Quem dá crédito à habitação superior a 80% do preço de compra?
Foram considerados os empréstimos a taxa variável com garantia hipotecária para compra de habitação própria no regime geral. Há pouco mais de dois anos, nenhum emprestava mais de 85% do valor do imóvel.
Instituição Taxa de juro Montante máximo financiado
EuroBic Euribor 6 ou 12 meses + 1,49% a 3,10% 90% do valor de avaliação, até 100% do valor de compra
Crédito Agrícola Euribor 12 meses + 1,20% a 2,65% 90% do valor do imóvel (o menor entre avaliação e compra)
UCI Euribor 6 meses + 1,75% a 2,75% 90% do valor do imóvel (o menor entre avaliação e compra)
Santander Totta Euribor 12 meses + 1,15% a 2,50% 85% do valor de avaliação, até 90% do valor de compra
Banco BPI Euribor 12 meses + 1,50% a 4,10% 85% do valor do imóvel (o menor entre avaliação e compra)
Banco CTT Euribor 12 meses + 1,20% a 2,10% 85% do valor do imóvel (o menor entre avaliação e compra)
Caixa Geral de Depósitos Euribor a 12 meses + 1,30% a 5,35% 80% do valor de avaliação, até 90% do valor de compra
Millennium bcp Euribor 12 meses + 1,25% a 3,00% 80% do valor de avaliação, até 90% do valor de compra
Novo Banco Euribor 12 meses + 1,25% a 5,00% 80% do valor de avaliação, até 90% do valor de compra
Fonte: bancos a 13 de julho de 2018.

É possível que, em situações específicas, outros bancos além dos que estão na lista anterior emprestem mais de 80% do valor da habitação. É o caso, por exemplo, dos empréstimos dos clientes que adquirem imóveis nas carteiras dos bancos financiadores.

A lista anterior inclui algumas das instituições financeiras que propõem os spreads — a margem de lucro na operação — mais baixos da banca, como o Santander Totta (desde 1,15%), o Crédito Agrícola (1,20%) e o Banco CTT (1,20%), mas exclui outras, como o Bankinter, que tem um spread mínimo de 1,15%, mas financia até 80% do valor do imóvel.