O presidente brasileiro Michel Temer enviou uma carta a Caetano Veloso onde contestava a comparação que o músico tinha feito, no Twitter, entre o atual presidente e o candidato presidencial Ciro Gomes. Ao saber da carta, o músico brasileiro não tardou em responder com ironia a Temer: “A última pessoa para quem Temer escreveu uma carta longa foi para Dilma. E a turma dele deu um golpe contra ela. Será que ele vai dar um golpe contra mim? É que eu sou difícil de destituir.” Depois sorriu, num vídeo que publicou na sua conta do Twitter.

Caetano Veloso apoia Ciro Gomes, um dos candidatos anti-Temer (que não será candidato). Por isso, também através do Twitter, o músico fez, a 24 de julho, uma comparação entre o presidente e ex-líder do PMDB, Michel Temer, e o candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Ciro Gomes — que nas últimas sondagens está muito atrás de Lula (PT) e também é menos favorito do que candidato do partido de Temer, Geraldo Alckmin.

Na comparação, Caetano considerou Temer “dissimulado”, disse que procurava “conchavos” (conspirações/conluios), que só pensava em si, que era uma “assombração do passado” e um “morto-vivo”. Ao contrário, segundo Caetano, Ciro, é “explosivo”, “busca união”, “pensa no país”, tem “vitalidade” e “coragem”.

Ora, Temer respondeu com uma carta enviada ao “Prezado Caetano Veloso“, em que o presidente é referido na terceira pessoa. A missiva diz que, para Temer, Ciro é “um pigmeu político” e que ele próprio “nunca fugiu de embates”. Temer disse ainda que “não há conchavos” na sua ação, mas “articulação“. O presidente brasileiro lembrou ainda projetos aprovados durante a presidência de temer como a “Lei da Ficha Limpa” e a “Lei de Acesso à Informação“. Além disso enumerou várias conquistas da área ambiental e social do seu mandato. E concluiu a carta, dizendo: “É em nome da transparência e de estar aberto sempre ao contraditório, que o presidente regista alguns dos atos que praticou e comportamentos que sempre teve. De forma civilizada e respeitosa, para um músico e compositor que tanto representa para a cultura brasileira.”

Caetano respondeu com a tal ironia, lembrando a carta que Temer enviou a Dilma Rousseff, antes do impeachment da então presidente brasileira. Nessa carta, de dezembro de 2015, Temer queixava-se a Dilma que tinha passado todo o primeiro mandato como um “vice decorativo” e que tinha perdido “todo o protagonismo político” em nome da unidade do Governo. Reclamava também só ser chamado “para resolver as votações do PMDB e as crises políticas”.

O ex-Presidente do Brasil Lula da Silva, cuja candidatura é contestada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), lidera com 37,3% as intenções de voto nas presidenciais do Brasil, anunciou na segunda-feira, citada pela Lusa, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). O resultado faz parte uma sondagem nacional divulgada pela CNI/MTA, que indicou que em segundo lugar vem o deputado conservador Jair Bolsonaro, com 18,3%.

Empatados na margem de erro da sondagem aparecem em terceiro lugar a ambientalista Marina Silva (5,6%)0, o ex-governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin (4,9%) e o ex-governador do Estado do Ceará Ciro Gomes (4,1%).