Carmen Montón, a ministra da saúde espanhola, anunciou esta terça-feira a sua demissão devido a supostas irregularidades no mestrado que tirou no Instituto de Direito Público da Universidade Rei Juan Carlos — o mesmo onde também estudaram Cristina Cifuentes e Pablo Casado, outros dois políticos espanhóis que também estão a braços com inconsistências nos respetivos estudos. A nova responsável pela pasta da Saúde será Maria Luisa Carcedo, que era até agora a alta comissária do Governo espanhol para a luta contra a pobreza infantil.

Carmen Montón marcou uma conferência de imprensa para as 20h45 desta terça-feira (19h45 em Portugal) e oficializou a sua demissão do Governo de Pedro Sánchez. Montón tinha o apoio de Sánchez mas, de acordo com o El País, não resistiu às pressões dentro do PSOE para que se demitisse. “Está a fazer um trabalho extraordinário e vai continuar a fazê-lo. O que tem feito nos últimos meses é aquilo que se pediu: reverter os cortes na saúde pública, recuperar e avançar nos direitos vinculados à saúde pública. A única coisa que posso dizer enquanto presidente do Governo é que a ministra está a fazer um trabalho extraordinário e vai continuar a fazê-lo. É bastante claro”, disse Pedro Sánchez esta terça-feira à saída do Senado.

A demissão de Carmen Montón surge como uma consequência das notícias que vieram a público esta segunda-feira: o eldiario.es revelou várias informações que confirmavam irregularidades no mestrado em Estudos Interdisciplinares de Género que a ex-ministra concluiu em 2011. Montón convocou quase de imediato uma conferência de imprensa, negou todas as alegações e recusou qualquer intenção de se demitir — recusa essa que mantinha na manhã desta terça-feira numa entrevista à Cadena Ser.

Já esta terça-feira, a Universidade Rei Juan Carlos confirmou que as notas da Carmen Montón foram manipuladas já depois do final do mestrado: “A inspeção de serviços está a investigar este mestrado com todas as diligências possíveis para obter os resultados assim que possível, tomar as medidas oportunas e apurar responsabilidades”. Entretanto, horas depois, o canal de televisão espanhol La Sexta dizia que a tese da ministra demissionária incluía textos idênticos aos de outros autores que esta não citava.

Carmén Montón chegou ao Governo espanhol pela mão de Pedro Sánchez. Até ao dia 7 de junho, a agora ex-ministra da saúde espanhola era a conselheira de Higiene e Saúde Pública da Comunidade Autónoma de Valência.