Na vila de Laviano, em Itália, já se pagou para se fazerem bebés. O plano foi implementado para fazer face à diminuição acentuada da taxa de natalidade, nos anos 80, quando a vila viu a sua população muito reduzida.

A 23 de novembro de 1980, um terramoto atingiu a vila de Laviano e fez três centenas de mortes, cerca de 20% da população. O resultado dessa perda teve um grande impacto na geração seguinte, pelo que Rocco Favilena, ex-prefeito de Laviano, decidiu elaborar um plano para reverter a situação: ofereceu 10 mil euros por cada nascimento na vila.

Só quando aqui cheguei é que percebi a dimensão da destruição. Quando fui eleito prefeito, percebi que apenas quatro crianças tinham nascido nesse ano”, disse Rocco Favilena à BBC.

A única condição para receber esse apoio era ser residente na vila e permanecer lá, independentemente do rendimento das famílias. O plano foi pensado para dar a oportunidade às famílias de inscrever os filhos na escola primária, sendo que a última parte do “bónus” era recebido quando as crianças já estivessem matriculadas na escola. Hoje em dia, 135 crianças vão à escola, quando nos últimos 20 anos iam menos de 60.

De acordo com os números obtidos pela BBC, entre 2000 e 2002 não se registou qualquer nascimento. Em 2003 já se registaram 12 e o número tendeu a crescer, embora o plano do “baby bonus”, como lhe chama Favilena, ter durado apenas 4 anos. De há 8 anos para cá, a taxa de natalidade sofreu novamente uma diminuição drástica, uma vez que a faixa etária jovem abandona a vila para ir estudar e não volta por encontrar ofertas de emprego noutros sítios.