Dezenas de personalidades, militares, à esquerda e à direita, prestaram hoje homenagem ao general Loureiro dos Santos, que morreu no sábado aos 82 anos, incluindo o Presidente da República e o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reforçou a importância do general na democracia portuguesa. “Se há hoje democracia partidária muito se deve ao Loureiro dos Santos”, avançou.

Durante a tarde, passaram pela Capela da Academia Militar, em Lisboa, onde decorre o velório do antigo ministro da Defesa, personalidades como o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Silva Ribeiro.

João Gomes Cravinho realçou o contributo de Loureiro dos Santos para a democratização das forças armadas após o período revolucionário de 1974-75.

O ex-Presidente Ramalho Eanes também esteve na capela, elogiando o militar e académico, mas também como ministro da Defesa.

Pelo velório passaram ainda Jorge Lacão, vice-presidente do parlamento, em representação de Ferro Rodrigues, que se encontra na China, o filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço ou ainda o major Mário Tomé, antigo deputado da UDP. Também o ex-titular da pasta da Defesa do PSD Figueiredo Lopes esteve na Capela da Academia Militar.