Eleições Europeias

Santana escolhe consultor de Marcelo como candidato da Aliança às Europeias

O consultor para Assuntos Europeus de Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo de Almeida Sande, foi o escolhido para liderar o novo partido de Santana Lopes, a Aliança, às eleições Europeias do próximo ano.

O novo partido de Santana Lopes, a Aliança, foi oficializado pelo TC em outubro

TIAGO PETINGA/LUSA

Pedro Santana Lopes escolheu um assessor do presidente Marcelo Rebelo de Sousa como cabeça-de-lista da Aliança às próximas eleições Europeias. Segundo noticiou o Expresso, o escolhido para candidato da Aliança, o novo partido de Santana, é Paulo de Almeida Sande, especialista em assuntos europeus e consultor da Casa Civil do Presidente da República desde março de 2016.

Pedro Santana Lopes, em declarações ao Expresso, disse que Paulo de Almeida Sande é “um candidato de luxo” que responde a duas características que a Aliança procurava: “Credibilidade” e “inovação”, no sentido de ser um rosto novo no combate político-partidário.

Paulo Sande, que é colunista do Observador, não é um nome mediático e conhecido em todo o país, mas a Aliança procura equilibrar essa lacuna com o mediatismo que Santana Lopes vai trazer à campanha. Ainda de acordo com o Expresso, Paulo Sande foi próximo de Mário Soares e de Ernâni Lopes nos anos 80. Apesar de ser candidato às Europeias, Sande vai continuar como independente e não vai militar na Aliança.

Paulo de Almeida Sande tem um vasto currículo em assuntos europeus. Entre 2004 e 2012, foi diretor do gabinete do Parlamento Europeu em Portugal. É também o professor regente da disciplina de Construção Europeia do Curso de Ciência Política da Universidade Católica Portuguesa desde 2002. Em 1998, já tinha sido porta-voz e conselheiro de Imprensa da União Europeia na Expo 98 e administrador do gabinete do Parlamento Europeu em Portugal entre 1988 e  2000.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
129

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

PAN

A culpa como arma final /premium

André Abrantes Amaral

Antes o pecador ia para o Inferno; agora destrói a Terra. A Igreja falava em nome de Deus; o PAN fala em nome do planeta. Onde foi buscar tal ideia é o que a democracia tem tido dificuldade em perguntar

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)