O evento “Building the Future”, organizado pela imatch e promovido pela Microsoft, vai trazer a Portugal nomes influentes da tecnologia como Tim O’Brien ou Gerd Leonhard. Numa medida de discriminação positiva, a organização do evento está a vender bilhetes para mulheres “que trabalharem diretamente com novas tecnologias” com 77,5% de desconto (preço final, 90 euros), em relação ao valor geral, de 400 euros.

A página de compra de bilhetes, com os descontos discriminados

Esta iniciativa da Microsoft, que conta também com o apoio da “a Accenture, Axians, EY, KPMG e mais 15 parceiros”, reúne num conjunto de conferências várias “empresas, startups, incubadoras, investidores, investigadores e estudantes”. O objetivo é falar das principais tendências do futuro, como a Inteligência Artificial, a computação quântica e ou cibersegurança.

Segundo a notícia oficial do evento, este é direcionado para “Diretores Gerais, Recursos Humanos, Financeiros, Comerciais, Marketeers ou responsáveis das áreas de Transformação Digital, Tecnologia, Segurança, Privacidade de dados”, além de “audiências mais técnicas. Outras iniciativas, como a Web Summit, e empresas ligadas à indústria tecnológica, costumam também incentivar este tipo de iniciativas para incentivar a participação de mulheres nestas iniciativas, que, nos últimos anos, têm tido maior adesão pelo público masculino.

O Observador contactou a Microsoft quanto a este assunto. Fonte oficial da Microsoft Portugal deixou as seguintes declarações abaixo:

“Encorajar mulheres para a área das Ciências e Tecnologias nunca foi tão importante. Menos de uma em cada três pessoas a trabalhar nas TIC, atualmente, são mulheres. Segundo o estudo Women in the Digital Age, da Comissão Europeia, há quatro vezes mais homens do que mulheres em funções TIC na Europa. Quando comparado com 2011, há menos mulheres a estudar TIC no Ensino Superior e o rácio de homens a trabalhar no setor digital é 3.1 vezes superior ao de mulheres.

A Microsoft é uma organização comprometida com a diversidade e a inclusão e isso inclui atrair, recrutar e reter talento diverso na indústria de Tecnologia. Acreditamos que a diversidade enriquece a performance das equipas e melhora produtos e serviços. Equipas multidisciplinares criam inovação mais rica e promovem abordagens mais diversas. Porque o setor não tem conseguido cativar o público feminino, consideramos que se justifica a criação de um incentivo especial, materializado no acesso ao evento Building the Future: Ativar Portugal a preços mais acessíveis para este público. Porque acreditamos no impacto que a tecnologia pode ter no desenvolvimento económico de um país e porque desenvolvemos múltiplas iniciativas de capacitação digital, criámos também condições especiais para estudantes e colaboradores de Instituições Públicas – numa categoria denominada “Building Portugal”. As Startups também têm acesso a condições diferenciadas”

*Artigo alterado às 21h30, com resposta da Microsoft enviada ao Observador às 19h. Artigo corrigido às 17h55. Os jornalistas não têm desconto, têm acesso a acreditação