Microsoft

Evento da Microsoft com desconto de 77,5% para mulheres. Eles pagam 400 euros, elas 90

"Mulheres a trabalhar diretamente com novas tecnologias" pagam 90€. Há descontos para estudantes e colaboradores de "Instituição Pública ou Governamental", mas homens pagam 400€.

O evento Building the Future decorre nos dias 29 e 30 de janeiro

Microsoft

O evento “Building the Future”, organizado pela imatch e promovido pela Microsoft, vai trazer a Portugal nomes influentes da tecnologia como Tim O’Brien ou Gerd Leonhard. Numa medida de discriminação positiva, a organização do evento está a vender bilhetes para mulheres “que trabalharem diretamente com novas tecnologias” com 77,5% de desconto (preço final, 90 euros), em relação ao valor geral, de 400 euros.

A página de compra de bilhetes, com os descontos discriminados

Esta iniciativa da Microsoft, que conta também com o apoio da “a Accenture, Axians, EY, KPMG e mais 15 parceiros”, reúne num conjunto de conferências várias “empresas, startups, incubadoras, investidores, investigadores e estudantes”. O objetivo é falar das principais tendências do futuro, como a Inteligência Artificial, a computação quântica e ou cibersegurança.

Segundo a notícia oficial do evento, este é direcionado para “Diretores Gerais, Recursos Humanos, Financeiros, Comerciais, Marketeers ou responsáveis das áreas de Transformação Digital, Tecnologia, Segurança, Privacidade de dados”, além de “audiências mais técnicas. Outras iniciativas, como a Web Summit, e empresas ligadas à indústria tecnológica, costumam também incentivar este tipo de iniciativas para incentivar a participação de mulheres nestas iniciativas, que, nos últimos anos, têm tido maior adesão pelo público masculino.

O Observador contactou a Microsoft quanto a este assunto. Fonte oficial da Microsoft Portugal deixou as seguintes declarações abaixo:

“Encorajar mulheres para a área das Ciências e Tecnologias nunca foi tão importante. Menos de uma em cada três pessoas a trabalhar nas TIC, atualmente, são mulheres. Segundo o estudo Women in the Digital Age, da Comissão Europeia, há quatro vezes mais homens do que mulheres em funções TIC na Europa. Quando comparado com 2011, há menos mulheres a estudar TIC no Ensino Superior e o rácio de homens a trabalhar no setor digital é 3.1 vezes superior ao de mulheres.

A Microsoft é uma organização comprometida com a diversidade e a inclusão e isso inclui atrair, recrutar e reter talento diverso na indústria de Tecnologia. Acreditamos que a diversidade enriquece a performance das equipas e melhora produtos e serviços. Equipas multidisciplinares criam inovação mais rica e promovem abordagens mais diversas. Porque o setor não tem conseguido cativar o público feminino, consideramos que se justifica a criação de um incentivo especial, materializado no acesso ao evento Building the Future: Ativar Portugal a preços mais acessíveis para este público. Porque acreditamos no impacto que a tecnologia pode ter no desenvolvimento económico de um país e porque desenvolvemos múltiplas iniciativas de capacitação digital, criámos também condições especiais para estudantes e colaboradores de Instituições Públicas – numa categoria denominada “Building Portugal”. As Startups também têm acesso a condições diferenciadas”

*Artigo alterado às 21h30, com resposta da Microsoft enviada ao Observador às 19h. Artigo corrigido às 17h55. Os jornalistas não têm desconto, têm acesso a acreditação

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)