Aproxima-se o Super Bowl, o evento desportivo mais visto no mundo – e claramente nos EUA – onde os custos da publicidade atingem valores estratosféricos, ao nível das audiências. Tradicional patrocinador desta final de futebol americano, a Lexus remeteu-se este ano para um vídeo, alusivo ao tema, onde recorda os sistemas de segurança com que equipa os seus carros, bem como a forma como estes poderiam ajudar um dos desportos mais violentos do mundo, excluindo os de combate.

Para o vídeo, que não pode ser considerado um filme comercial convencional, a divisão de luxo do Grupo Toyota contratou Matt Leinart, um ex-quarterback da National Football League que sempre se bateu pela segurança dos jogadores. E a Lexus especifica como é que os seus sistemas de segurança – que denomina QBSS+ –  podem ajudar os desportistas e reduzir as suas lesões, dividindo-os em cinco áreas distintas.

Se o detector de ângulo morto permitiria aos jogadores proteger melhor a bola e controlar a aproximação dos adversários, as câmaras a 360º reforçariam tudo isto, mantendo debaixo de olho quem está à sua volta, pronto para o interceptar. O GPS e o sistema de navegação traçariam o melhor caminho até à linha de touchdown, mas a solução mais interessante será um conjunto de airbags que envolvem o corpo do atleta, ainda antes de ele atingir o solo ou ser “esmagado” pelos adversários.

Porém, a proposta mais surpreendente é o Boo-dampening. Perante os apupos dos espectadores, por vezes num vernáculo capaz de fazer corar uma corista, o sistema da Lexus promete transformar os gritos ferozes do público do tipo “não jogas um ca****” ou “és um jogador de mer**”, em incentivos como “és o maior” ou “és o melhor jogador do mundo”, através de um sistema de som interno.