O democrata Ted Deutch denunciou, esta terça-feira, que o Departamento de Saúde e Serviços Humanos norte-americano (HHS, sigla em inglês) recebeu milhares de queixas de abuso sexual, assédio ou conduta sexual inapropriada contra menores desacompanhados na fronteira dos EUA com o México.

De acordo com a documentação da HHS entregue por Ted Deutch à publicação Axios, foram reportados nos últimos quatro anos milhares de relatos de abusos sexuais contra menores desacompanhados, sob a custódia do governo norte-americano. Entre outubro de 2014 e julho de 2018, o gabinete competente por reencaminhar os refugiados, afeto ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos, recebeu 4.556 queixas desta ordem.

Nesse mesmo período de tempo, o Departamento de Justiça recebeu outras 1.303 queixas, 178 das quais dizem respeito a alegados abusos sexuais cometidos por funcionários. Na maior parte dos casos, os abusos são alegadamente perpetrados por outros menores (851). Não é claro se as queixas remetidas aos HHS e ao Departamento de Justiça resultam ou não de uma duplicação de dados.

Os documentos entretanto divulgados pela publicação Axios dão conta de denúncias feitas ao Departamento de Justiça contra funcionários acusados de manter relações com os menores, de contacto sexual não desejado ou de mostrar vídeos pornográficos a crianças e adolescentes.

As fotografias e os vídeos das crianças separadas dos pais na fronteira EUA-México

“Estes documentos do HHS detalham uma quantidade alarmante de agressões sexuais contra crianças não acompanhadas sob a sua custódia”, disse Deutch, citado pela NBC News, durante uma audiência realizada esta terça-feira a propósito da política de tolerância zero levada a cabo pela administração de Donald Trump. O representante democrata do 22º distrito da Flórida afirmou ainda que os dados revelados descrevem um “ambiente inseguro”, marcado por agressões sexuais perpetradas por alguns funcionários.

É claro que esta administração não está preparada para manter estas crianças em segurança”, continuou.

Em resposta, a porta-voz do HHS, Caitlin Oakley, disse ao Axios que a segurança dos menores desacompanhados é a “principal preocupação” daquele departamento. “Estas são crianças vulneráveis em circunstâncias difíceis e o OOR [Office of Refugee Resettlement] compreende inteiramente que é da sua responsabilidade garantir que cada criança seja tratada com o máximo cuidado. Quando quaisquer alegações de abuso, abuso sexual ou negligência são feitas, elas são levadas a sério e o ORR age rapidamente de modo a investigar e responder.”