Mariana Mortágua reagiu à intenção do juiz Neto de Moura em avançar com processos contra quem o chamou de misógino, machista ou incapaz de exercer o cargo por ter desvalorizado dois casos de violência doméstica. Num artigo de opinião publicado no Jornal de Notícias, a bloquista diz que o juiz pode aproveitar que as mulheres vão sair à rua a 8 de março e que pode processá-las a todas.

“Não queremos flores, queremos justiça, e queremos Neto de Moura fora dela. Que nos processe a todas”, escreveu.

A propósito do caso em que o juiz retirou a pulseira eletrónica do homem que rebentou o tímpano à mulher, Mariana Mortágua reagiu no Twitter, dizendo que ”a presença de Neto de Moura nos tribunais portugueses é uma ameaça à segurança das mulheres”. E tornou-se assim num dos alvos da equipa dos advogados do juiz, que ainda estão a identificar os autores de críticas e insultos contra ele.

Bruno Nogueira responde a Neto de Moura: “Não irei levar um pau com pregos para o agredir mesmo sabendo que me podia valer a absolvição”

Já foram identificadas várias personalidades, como Ricardo Araújo Pereira, Bruno Nogueira, que responderam, e agora foi a vez de Mariana Mortágua o fazer.

Ricardo Araújo Pereira conta como foi criado o “Salva o Neto”. Juiz Neto de Moura não viu, mas diz-se “abatido”

A deputada do BE escreveu no JN que o juíz ”não pode julgar agressores de violência doméstica porque pensa como eles” e que ”tem a complacência do machismo que ainda habita em parte significativa da nossa justiça”. Apelou ainda ao Conselho Superior da Magistratura e ao Parlamento para agirem na discussão do Estatuto do Magistrado

Mariana Mortágua referiu-se ainda à manifestação do Dia da Mulher que vai acontecer na sexta-feira em vários pontos do país.

Juiz Neto de Moura vai processar humoristas, jornalistas e políticos