Rádio Observador

Santander

Santander inaugurou um banco que é uma cafetaria (ou uma cafetaria que é um banco)

3.064

O Santander inaugurou esta terça-feira uma agência inovadora. Em parceria com a Delta, o banco abriu um espaço de co-work e com cafetaria e que é, também, uma agência bancária.

O Work Café está aberto desde dezembro e foi inaugurado esta terça-feira

Imagine uma cafetaria gourmet, recheada de tecnologia e com mesas para trabalho partilhado. Ao lado das mesas, gabinetes com recursos tecnológicos para apresentações e reuniões. E se, além de tudo isto, esse local for também uma agência bancária? O Santander inaugurou esta terça-feira o primeiro Work Café em Portugal, uma “ideia peregrina” como classifica o presidente do Conselho de Administração, António Vieira Monteiro. O conceito foi importado do Chile, está aberto desde dezembro, mas só esta terça-feira foi inaugurado oficialmente.

O conceito, que além do Chile já foi implementado no Brasil e em Espanha, é aberto a clientes e não a clientes do banco. À entrada, basta indicar se vai usufruir da vertente bancária ou se vai apenas utilizar os locais de trabalho e a cafetaria. O atendimento é feito de forma personalizada, com o gestor de conta a receber a notificação de que o cliente entrou e deseja ser atendido, e feito na mesa do café ou nos sofás disponíveis no local.

O Work Café das Amoreiras é o primeiro em Portugal, mas a ideia é expandir já em 2019 para Espinho, Coimbra e Porto, inclusive em agências mais pequenas. No Chile existem já 50 agências com este conceito, mas em Portugal, o Administrador Executivo, Miguel Belo de Carvalho não quis deixar uma meta para o primeiro ano. O conceito agrada mais aos jovens e nos primeiros meses de funcionamento o banco registou 2/3 de utilizadores não clientes do banco, mas também um aumento de novas contas “muito forte face a um balcão convencional”, diz o administrador.

António Vieira Monteiro considera que este é um “serviço de inovação na transformação do tradicional” e que faz parte do papel do banco saber “aproveitar o sistema de serviço ao público” e “chamar os clientes ao banco”. O presidente executivo, Pedro Castro e Almeida, fez questão de sublinhar que o banco “não será intrusivo na relação com os não clientes” e que o espaço “tem sido aproveitado por pequenos empresários, com resultados muito bons nos primeiros quatro meses de utilização”.

Os responsáveis do Santander deixaram, ainda, elogios à Delta, cujo desafio surgiu também em espaço informal, “no final de um almoço”, como contou o CEO do grupo, Rui Miguel Nabeiro. A marca identificou-se com o conceito “que promove fortemente a partilha” e o banco considerou que “sendo a Delta uma marca portuguesa de grande sucesso e um cliente antigo do banco” aliado à “reputação das duas marcas” seria o parceiro natural para este projeto.

O formato é também mais vantajoso para os colaboradores, segundo os dados internos do banco, registando um aumento de produtividade devido ao formato de atendimento, onde o local de trabalho dos gestores de conta não é “invadido” pelos clientes. O Work Café do Santander nas Amoreiras localiza-se na Avenida Duarte Pacheco e tem horário alargado, funcionando das 8h30 às 17h30 (ao contrário das restantes agências, que encerram às 15h30).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mdias@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)