Moçambique

Fuzileiro da Marinha portuguesa resgata mulher em Moçambique

1.396

Faustino era um dos portugueses responsáveis por sobrevoar as zonas isoladas da Beira, Moçambique. Quando viu uma mulher a acenar, ofereceu-se para a resgatar. O momento foi fotografado pelos colegas.

Esta equipa da Força de Reação Imediata (FRI) chegou a Moçambique na sexta-feira

Marinha Portuguesa/ Facebook

Uma mulher moçambicana foi este domingo resgatada por um fuzileiro da Marinha portuguesa após ter ficado presa numa aldeia junto ao rio Buzi, na cidade da Beira. De acordo com o relato publicado pela Marinha na página oficial de Facebook, a mulher foi salva pelo Sargento Fuzileiro Faustino, que viajou até ao local a bordo de um helicóptero da Marinha indiana ao serviço das Nações Unidas. As imagens do momento foram partilhadas nas redes sociais.

Fuzileiro apoia resgate de mulher em aldeia isolada em MoçambiqueUma pessoa isolada foi hoje resgatada na Beira, em…

Posted by Marinha Portuguesa on Sunday, March 24, 2019

Segundo as Forças Armadas, esta mulher foi encontrada “com sinais evidentes de fraqueza” durante uma operação de reconhecimento às áreas que ficaram isoladas após a passagem do ciclone Idai — que inundou várias zonas da província da Sofala e matou 446 pessoas. A tripulação do helicóptero, da qual fazia parte o fuzileiro português, “apercebeu-se de um pedido de auxílio de vários populares no solo, que acenavam a pedir ajuda”, descreve a Marinha. Foi então que o Sargento Fuzileiro Faustino se voluntariou para efetuar o salvamento.

Este fuzileiro integra a equipa da Força de Reação Imediata (FRI) que se encontra em missão humanitária em Moçambique. Chegaram ao país na sexta-feira às 13h50 (hora de Lisboa), no aeroporto da Beira, com a “missão de salvar vidas e prestar apoio às populações isoladas aproveitando as vias fluviais, com prioridade para o resgate de pessoas em perigo”, explicou o Estado-Maior General das Forças Armadas. A equipa é constituída por 40 militares: o Coronel do Exército, três militares da Força Aérea, 25 fuzileiros e mais 11 militares do Exército.

Este domingo, umas das tarefas era sobrevoar as regiões da província de Sofala que continuavam isoladas pela água das chuvas após a passagem do ciclone Idai. O reconhecimento aéreo estava a ser realizado com uma equipa de militares portugueses, que também tinha de mapear as zonas onde agora está a decorrer a distribuição alimentar de emergência às populações isoladas. Quando a tripulação viu a mulher a acenar, Faustino desceu para a ir buscar. E, tal como confirmam as imagens da Marinha, salvou esta vítima do Idai.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)