Rádio Observador

Veganismo

Youtuber vegan foi gravada a comer pescada e as críticas dispararam nas redes sociais

486

A youtuber Yovana Mendoza, com quase 2 milhões de subscritores, que supostamente levava e partilhava um estilo de vida vegan, foi gravada a comer pescada.

A youtuber também é bastante conhecida no Instagram, onde tem 1,3 milhões de seguidores

Yovana Mendoza, conhecida também por Rawvana, é youtuber de saúde, fitness e lifestyle e tem mais de 2 milhões de subscritores. A jovem de 28 anos, uma inspiração para os seguidores pela alimentação que (supostamente) levava, foi apanhada a comer pescada.

Para além da fama no YouTube, onde tem dois canais – um em inglês e outro em espanhol (a jovem tem origens mexicanas, mas é da Califórnia) — Rawvana tem um blog, onde promove uma dieta vegan de 21 dias para emagrecer 5kg. No instagram, também partilha algumas receitas, e é aqui que tem recebido várias críticas dos seguidores a propósito de um vídeo gravado pela influencer colombiana Paula Galindo, quando estavam a passar férias juntas em Bali. Pode ver-se Yovana Mendoza a comer pescada, ainda que tenha tentado esconder o prato com os braços.

Mas existe um motivo para Rawvana não seguir uma dieta vegan fiel: a youtuber já fez um vídeo a pedir desculpa aos seguidores e a explicar que tem vários problemas de saúde — anemia, um desajuste hormonal, problemas na tiróide, fungos vaginais e síndrome de Sibo, uma doença causada pelo número excessivo de bactérias no intestino delgado — que a obrigam a ter de ingerir proteínas animais. Mas numa entrevista no canal Univisión, a youtuber conta que estes problemas de saúde não foram causados pela alimentação vegan.

Apesar do pedido de desculpas, chovem críticas nas redes sociais da jovem. No Instagram podem ler-se comentários, como ”não há nada nos ovos ou no peixe que não consigas obter com plantas e tu sabes disso. O peixe está cheio de toxinas e plástico e os ovos têm muito colesterol e proteínas que causam cancro. Isto entristece-me e espero que repenses a tua escolha”; ”Estou tão desapontada. De todos os falsos vegan que se revelaram este ano, tu foste aquela que partiu o meu coração”; ”Deixei de te seguir. Desiludida. Enojada. Entristecida. Estás cancelada na comunidade vegan”.

No Twitter, os utilizadores também foram deixando opiniões acerca do assunto como o que se segue, em que uma utilizadora diz que ”não é correto” o facto de ”Rawvana estar a vender um plano de perda de peso quando estava com problemas menstruais e com problemas de saúde”.

Outra seguidora respondeu a um tweet de Rawvana, onde esta apelava para as pessoas ajudarem a”tornar o mundo um lugar melhor”, dizendo que aquilo que a influencer fez ”tornou o mundo um lugar pior” e deixou a pergunta: ”Como é que estás a tornar o mundo num lugar melhor ao mostrar um estilo de vida fútil, insustentável e irrealista que afeta os teus seguidores fisica e psicologicamente?”.

Para além de ter perdido alguns fãs, sgundo o espanhol El País, algumas marcas também já deixaram de trabalhar com a influencer.

O jornal diz ainda que o primeiro deslize na dieta de Rawvana aconteceu quando, há três anos, começou a comer alguns alimentos cozinhados. Agora, revelou que quer voltar a seguir fielmente a dieta vegan, assim que os médicos lhe derem permissão.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)