Rádio Observador

Literatura Infantil

23 novidades para celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil

625

São histórias de pais, de irmãos, da natureza, de amizade. Falam de encontros improváveis, de vidas inspiradoras e até do excesso de coisas. Uma festa variada para enriquecer a biblioteca infantil.

Todos os títulos sugeridos foram publicados nos últimos dois meses

Banana!

De Bernardo P. Carvalho (Planeta Tangerina). 12,50€

A Nuvem, o Sol, o Mar, o Iceberg, o Vento, o Vulcão, a Floresta, o Arco-Íris e o Reflexo. As nove personagens do mais recente livro de Bernardo P. Carvalho compõem uma panorâmica idílica, e sabem disso. O ilustrador deu caras sorridentes a colagens em papel colorido e de uma forma simples pôs de pé esta história original onde a natureza se esmera para ficar bem nas fotografias dos turistas. Tudo começa de manhã, quando o Vulcão acorda com má cara e muito quente, “a chocar alguma”, e para além de uma erupção inesperada — “deve ter sido daquelas pedras que comi há 2500 anos” — há um sem fim de brincadeiras com os elementos. Como diz a breve sinopse de uma linha: “um show daqueles”.

A Escavadora e a Flor

De Joseph Kuefler (Bizâncio). 11,90€

Um encontro improvável serve de ponto de partida para uma história comovente: a de uma escavadora que um dia, no meio do entulho, descobre uma flor pequenina. Enquanto as outras máquinas só querem construir prédios sem parar, a escavadora começa a cuidar da flor. Um pequeno ponto verde numa floresta de cimento, símbolo do contraste entre a máquina e a natureza, o monumental e o frágil. Uma história que se lê de um fôlego, do mesmo autor de No Fundo do Lago.

Um Inverno Perfeito

De Cristina Sitja Rubio (Orfeu Negro). 14,50€

O leque de personagens é composto por “grandes dorminhocos”: o urso, as tartarugas, os caracóis, as serpentes, a marmota, o noitibó, as rãs, os morcegos e os ouriços. Todos se preparam para uma longa sesta quando a neve começa a cair na floresta e deixam avisos nas suas tocas: “não incomodar até à Primavera”. “Mas o Texugo não tem sono. Tem planos fabulosos para os meses que aí vêm.” Um Inverno Perfeito, ou o regresso inspirado de Cristina Sitja Rubio depois do também fantasticamente ilustrado álbum Estranhas Criaturas.

Papá das Pernas Longas

Texto de Nadine Brun-Cosme, ilustrações de Aurélie Guillerey (Fábula). 12,99€

A partir de um gesto recorrente — deixar o filho no infantário — Nadine Brun-Cosme constrói um retrato enternecedor da figura paterna. Tudo começa numa manhã em que o carro velho não quer pegar, o que leva o filho a perguntar o que acontece se o pai não conseguir voltar para junto dele ao fim do dia. O pai, pois claro, diz que vai buscá-lo no grande trator vermelho do vizinho. E se o trator estiver cansado, e por aí fora, inquieta-se o menino? Não faltam soluções e sentido de humor ao imaginativo Papá das Pernas Longas, ilustradas por Aurélie Guillerey com traço vintage.

Irmãos!

De Rocio Bonilla (Jacarandá). 13,90€

Duas capas e duas visões. De um lado, um irmão diz: “a minha irmã é um rinoceronte”. Do outro, é a irmã que declara: “o meu irmão é um macaco”. Ele faz uma lista das coisas de que gosta e não gosta na irmã mais velha, ela mostra-nos a sua perspetiva, num livro duplo que pode ser lido por qualquer ordem e que capta, de forma original, a essência do que é ter irmãos.

A Origem das Espécies de Charles Darwin

De Sabina Radeva (Nuvem de Letras). 15,50€

Antes de ser designer gráfica e ilustradora, Sabina Radeva trabalhava em biologia molecular. As suas duas paixões acabam por estar resumidas neste álbum, o seu primeiro livro publicado e uma adaptação de A Origem das Espécies de Charles Darwin. A obra que mudou o mundo, graças à teoria da evolução, é aqui recontada em 64 páginas ilustradas, com direito a um glossário no final para explicar conceitos como extinto e ADN. Os textos são claros e cheios de exemplos concretos, as ilustrações são belíssimas, e a versão de Radeva consegue explicar de forma acessível conceitos darwinianos como a seleção natural. Uma fascinante porta de entrada no mundo natural que acaba por funcionar também como uma chamada de atenção, em plena era tecnológica, para o poder da curiosidade e da observação.

Como Cozinhar uma Criança

De Afonso Cruz (Alfaguara). 13,90€

Com batatas ou arroz? Ao vapor, em banho-maria, em lume brando, no forno, estufadas ou al dente? Como Cozinhar uma Criança levanta todas estas hipóteses, mas o título não é para levar à letra, ou não estivéssemos a falar de Afonso Cruz. A cabeça sempre surpreendente do escritor imaginou esta história cheia de metáforas, escrita à maneira de uma peça de teatro e onde dois cozinheiros têm ideias diferentes sobre o que significa cozinhar uma criança. Será metê-la na panela, como defende o primeiro? Ou aceitar que uma pessoa é feita de muitos ingredientes e de muitas ideias, como defende o segundo? Um exercício duplamente criativo em que o autor explora um novo estilo de ilustração onde integra fotografias de alimentos, dando-lhes novas funções, e onde rapidamente se percebe que este tipo de imaginação — e de surpresa — é necessário se não queremos criar adultos demasiado duros. Ou até mesmo intragáveis.

O Caminho

Texto de Mario Satz, ilustrações de Yara Kono (Akiara). 14,50€

A editora de Inês Castel-Branco tem feito um trabalho ao mesmo tempo filosófico e poético na literatura infantil, e O Caminho acaba por ser um resumo de tudo isso. Trata-se de um poema filosófico do escritor argentino Mario Satz, em que as crianças são desafiadas a pensar no que significa escolher uma estrada, cair, esperar, ter atenção e paciência. Cada página convida à reflexão e a uma leitura amadurecida, num contraste com as ilustrações coloridas e infantis de Yara Kono.

Aventuras do Zé Peninha

Texto de Luísa Ducla Soares, ilustrações de João Vaz de Carvalho (Livros Horizonte). 13,90€

Luísa Ducla Soares é uma autora consagrada de livros infantis com uma vasta obra publicada. Curiosidade: esta foi a primeira história que inventou, quando tinha apenas 13 anos. E que história. O protagonista é um rapaz chamado Zé, tão magrinho que é conhecido como Pele e Osso, e tão pobre — ninguém lhe dá emprego por causa da triste figura — que tem de comer “a relva dos jardins, as folhas das árvores e s pétalas das flores”. Um dia, lê um anúncio no jornal onde se oferece muito dinheiro por um esqueleto em bom estado, e começa todo um plano mirabolante para vender a única coisa que tem de bom. Um “era uma vez” mirabolante, que promete deixar os leitores agarrados à cadeira… ao contrário do Zé Peninha.

Orlando e o Tambor Mágico

De Alexandra Lucas Coelho (Alfaguara). 14,90€

Depois de Orlando e o Rinoceronte, este é o segundo volume da série infanto-juvenil escrita e ilustrada por Alexandra Lucas Coelho, onde o protagonista é um menino de oito anos chamado Orlando, com uma carapinha ruiva e dificuldade em dizer os “éles”. Desta vez, tudo começa nas vésperas de uma grande viagem à Guiné-Bissau, onde o pai do protagonista cresceu antes de vir para Portugal. A história é inspirada numa viagem que a própria Alexandra Lucas Coelho fez, por isso é de esperar o melhor dos seus livros de viagens e reportagens, à mistura com uma aventura que envolve tambores mágicos que vêm das árvores.

O Meu Pai é Incrível!

Texto de Sabrina Moyle, ilustração de Eunice Moyle (Booksmile) 12,60€

Nas aulas de Língua Portuguesa ensinam-nos a usar o ponto de exclamação com moderação, mas moderação é tudo o que não existe em O Meu Pai é Incrível! Sem contar com o título, o livro tem ao todo 18 destes sinais de pontuação (sim, contámos) e é uma homenagem apaixonada e colorida ao pai das duas autoras, “mais forte do que um lutador de luta-livre!”, “mais doce do que uma torre de panquecas!” e “mais corajoso do que um astronauta espacial!”, entre muitas outras qualidades. Um presente perfeito para quem quer impressionar, ainda segundo as autoras, “O.MELHOR.PAI.DO.MUNDO”.

Metade, Metade

Texto de Isabel Minhós Martins, ilustrações de Madalena Matoso (Planeta Tangerina). 12,50€

No que toca a riqueza vocabular, este livro não se fica pela metade. Aqui fala-se de amor, mas de uma forma original, em que a palavra do título serve de ponto de partida para mostrar o que vai dentro de um menino apaixonado no dia em que decide declarar-se no recreio da escola. “Meio campo”, “a meio gás”, “meio cá, meio lá” são apenas algumas das variações usadas para contar esta história de “caras-metades”, escrita quase como uma canção por Isabel Minhós Martins e ilustrada por Madalena Matoso — as duas metades que fizeram o livro.

O Período Azul do Melro

De Marion Deuchars (Bizâncio). 11,90€

O Melro Artista está de volta, e desta vez traz companhia: um amigo morcego com quem faz tudo, desde ouvir música a pintar. O problema é quando o morcego se vai embora e o melro fica sozinho, de tal forma mergulhado em tristeza que começa a pintar tudo da mesma cor — o seu período azul. Uma história de amizade em que a ilustradora Marion Deuchars volta a piscar o olho, com graça, ao mundo artístico.

Regresso a Casa

De Akiko Miyakoshi (Orfeu Negro). 13,90€

Do Japão chega-nos esta história serena pintada a carvão, considerada pelo New York Times como o Melhor Livro Ilustrado para Crianças em 2017. É de noite, e é como se um véu escuro tivesse caído sobre as páginas, onde um coelhinho regressa a casa ao colo da mãe porque brincou tanto que já tem sono. Na rua as lojas vão fechando e dentro de portas começam a apagar-se as luzes, na rotina diária que antecede o descanso e que faz de Regresso a Casa um livro para ter à cabeceira e ler antes de dar as boas noites.

A Rã dos Três Olhos

De Olga de Dios (Livros Horizonte). 12,20€

Como diz o arco-íris na capa, esta é uma história amiga do ambiente: a história de uma rã que nasce com três olhos e que à medida que cresce (e consegue saltar mais alto), começa a questionar o mundo poluído em que vive. Porque não é só a água que está contaminada: nas margens não param de aparecer “coisas novas que já ninguém quer” e, pior ainda, ao lado uma fábrica não pára de produzir outras coisas que, mais tarde ou mais cedo, irão parar ao mesmo sítio. “Não podemos ser felizes com tantas COISAS”, percebe rapidamente a rã, no meio do turbilhão das máquinas (e do consumismo). Uma lição que em boa hora começa a chegar às crianças, num livro que, de forma positiva, acaba por apresentar conceitos essenciais para o futuro como o da reutilização.

Cornelius

De Leo Lionni (Kalandraka). 15€

Às vezes, basta uma mudança de perspetiva. Que o diga Cornelius, um crocodilo que, ao contrário dos outros rastejantes da sua espécie, resolve caminhar de pé e por isso começa a ver coisas que nenhum outro crocodilo viu antes. Escrita há 35 anos, esta história é uma espécie de Clube dos Poetas Mortos em versão fábula, um clássico que, através das suas colagens e da sua aparente simplicidade, passa uma mensagem valiosa: a de questionar as convenções e ousar pensar de forma diferente.

De Londres ao Porto numa gaivota

Texto de Inês Cardoso, ilustração de Rita M. Pereira (Porto Editora)

É provavelmente a palavra que já deu mais dissertações filosóficas e mais fados a Portugal, e agora deu também um livro para crianças. A saudade é o tema principal deste De Londres ao Porto numa gaivota, da jornalista Inês Cardoso, onde uma menina chamada Sofia, “há exatamente 427 dias” a viver com os pais em Londres, sente falta da sua cidade e percebe que não consegue traduzir facilmente a palavra. Intrigada, vai descobrir que há outras formas de falar e de lidar com a distância, num livro bilingue (em português e inglês) feito também a pensar nas muitas famílias portuguesas que emigraram nos últimos anos.

Como Aqui Chegámos — Do Big Bang ao dia em que nasceste

De Philip Bunting (Booksmile). 13,99€

No início o universo inteiro cabia num espaço mais pequeno do que uma laranja. É assim que começa este livro cheio de sumo, porque foi assim que começámos. Como Aqui Chegámos? Do Big Bang ao dia em que nasceste é isso mesmo: uma explicação simplificada da origem do universo, desde o sistema solar ao “anfíbio aventureiro” que resolveu pôr as patas em solo firme e explorar o mundo fora do mar. O sentido de humor é um aliado de Philip Bunting e o livro consegue responder ao título de forma acessível e com uma pequena nota útil no final: a de cuidar bem do nosso planeta, pois é a única casa que temos.

Histórias para Rapazes que Sonham Mudar o Mundo – As vidas inspiradoras de 50 super-heróis

De G. L. Marvel (Nuvem de Tinta) 16,50€

Quando as palavras super-heróis e Marvel se encontram na mesma capa, normalmente isso é sinónimo de bandas desenhadas cheias de personagens fictícias com superpoderes. Não é o caso deste Histórias para Rapazes que Sonham Mudar o Mundo. Os super-heróis estão cá, mas são homens reais, “sem capa nem espada”. Ao todo são 50 figuras ilustres de diferentes épocas com vidas ou feitos inspiradores, de Albert Einstein a Barack Obama, passando pelos representantes nacionais Aristides de Sousa Mendes, Cristiano Ronaldo, João Garcia e Salvador Sobral. Todos têm direito a um retrato ilustrado a página inteira e todos começam por ser apresentados enquanto meninos, num registo que os aproxima do público alvo. No final, há espaço em branco para uma 51ª biografia: a do leitor que se pretende inspirar com estas lições de vida e esta determinação toda.

O Jorge e a Sua Sombra

Texto de Davide Cali e ilustração de Serge Bloch (Harper Kids). 13,90€

Provavelmente não víamos uma sombra ganhar protagonismo desde os tempos de Lucky Luke, mas Davide Cali está cá para isso. O autor suíço é conhecido pelo sentido de humor e as ideias milaborantes q.b., e desta vez oferece-nos uma personagem que um dia acorda e encontra, perplexa, a sua sombra a tomar o pequeno-almoço na cozinha. “O que é que estás aqui a fazer? Não devias estar no chão?”, pergunta a tal personagem, de nome Jorge. “Tinha fome”, responde-lhe simplesmente a sombra, que a partir desse momento resolve segui-lo para todo o lado. Primeiro Jorge surpreende-se, depois irrita-se, mas rapidamente percebe — sem sombra de dúvida –, que a vida sabe melhor com companhia.

Quando a Tristeza Chama — Manual de Instruções

De Eva Eland (Livros Horizonte). 12,90€

À semelhança do filme Divertida-mente (Inside Out), da Pixar, este livro tenta ensinar a lidar com a tristeza. Num registo sereno e até contemplativo, a ilustradora Eva Eland personifica o sentimento como uma espécie de fantasma que pode chegar sem avisar e que teima em aparecer quanto mais tentarmos escondê-lo. “Tenta não ter medo dela. Dá-lhe um nome” ou “arranjem alguma coisa que ambos gostem de fazer, como desenhar, ouvir música ou beber um chocolate quente”, são apenas alguns dos conselhos que fazem realmente deste livro um manual de instruções, quando a tristeza chama.

O Meu Avô Pirata

Texto de Laia Massons, ilustrações de Zuzanna Celej (Akiara). 13,90€

Uma moeda de ouro a quem não ficar comovido com este livro, onde um avô conta histórias às duas netas todos os domingos, num banco do jardim que batizou de “a ilha dos três piratas”. Histórias passadas no mar, de tesouros perdidos, monstros marinhos e mapas secretos, mas também de quando era pequeno e fazia os seus próprios brinquedos em madeira. Um ritual interrompido quando o avô é levado para o hospital e as netas são confrontadas com uma enorme mudança. O livro O Meu Avô Pirata é ilustrado com colagens e também o coração do leitor fica de certa forma aos bocadinhos, convidado a refletir sobre a tristeza, o amor, a imaginação e o poder de contar histórias.

O caso do Misterioso Ladrão das Cores!

De Richard Byrne (Booksmile). 13,20€

Todos ao quadro, para tentar resolver o mistério de quem anda a roubar os desenhos feitos pelos paus de giz. Primeiro são as flores que desaparecem, depois a própria cerca, até que se reúnem algumas pistas e se descobre o culpado, entre muita poeira e até uma perseguição emocionante. Uma obra do mesmo autor da série iniciada com Este Livro Comeu o Meu Cão e que tem a originalidade de ter uma ardósia sempre como cenário.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: adferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)