Espanha

Espanha. Futebolistas e dirigentes detidos por combinar resultados na Primeira e Segunda Liga

679

Onze jogadores e dirigentes desportivos foram detidos, por combinarem resultados em esquema de apostas. Está em causa um jogo do Valencia, de Gonçalo Guedes.

Raul Bravo, ex-jogador do Real Madrid e da seleção espanhola, é apontado como o cabecilha deste esquema

Getty Images

Onze futebolistas e dirigentes desportivos espanhóis foram acusados de formar uma organização criminal que combinava resultados na Primeira Liga, Segunda Divisão, e Segunda Divisão B do país, de forma a ganhar dinheiro através de apostas. Segundo o jornal espanhol El País outras 21 pessoas estão a ser investigadas, e o cabecilha da alegada organização criminosa será o antigo jogador Raúl Bravo (ex-jogador de Real Madrid, Olympiacos e da seleção espanhola retirado desde 2017.

Na lista dos detidos figuram os nomes do ex-atleta Carlos Aranda (formado no Real Madrid e reformado desde 2015); os futebolistas no ativo Iñigo López Montaña (que passou por Huesca e Cordóba, jogando agora pelo Desportivo La Corunã) e Borja Fernández (que representa o Valladolid, após fazer a formação no Real Madrid).

O Servimedia cita fontes policias que indicam que Samuel Saíz (formado no Real Madrid, passou por Atlético de Madrid e Huesca, e está hoje emprestado pelo Leeds ao Getafe) ainda não foi detido, mas está sob investigação.

Também foram detidos Agustín Lasaosa, o presidente da Sociedad Deportiva Huesca, e Juan Carlos Galindo Lanuza, responsável pelos serviços médicos do mesmo clube. Samuel Sainz e Iñigo López Montaña coincidiram no Huesca entre 2015 e 2017. Agustín Losa é acusado de coordenar a viciação de resultados em conjunto com Raúl Bravo.

Todos os detidos são acusados de associação criminosa, corrupção e branqueamento de capitais.

Jogo entre Huesca e Nástic terá levantado suspeitas

O ABC indica que terá sido um jogo entre o Huesca e o Nàstic de Tarragona, na jornada 41 da Segunda Liga Espanhola de 2017/18, a espoletar a investigação. O Huesca já tinha garantida a sua promoção à Primeira Liga, enquanto que o Nástic precisava de vencer para ter a manutenção na Segunda Liga.

O jogo terminou com a vitória do Nástic por 1 a 0, com um golo de Ikechukwu Uche aos 72 minutos. Mas horas antes do apito inicial as maiores casas de apostas do mundo, avança o AS, terão suspendido todas as apostas no resultado devido a um volume de investimentos 14 vezes mais elevado do que o normal, particularmente com origem em países do Leste da Europa.

A maioria das apostas indicaria um empate a zeros ao intervalo e a vitória por um golo do Nástic, exatamente como se verificou. Foi a Liga Espanhola a chamar a atenção das autoridades para o evento, levando ao início da operação.

Também uma partida entre o Sariñena e o Cariñena, no grupo 17 da  Segunda Liga B 2017/18, estará sob suspeita. A partida terminou empatada 1-1 com golos de  Dani García e Roncea.

Valência de Gonçalo Guedes a ser analisado

Um dos três jogos que está a ser analisado ao pormenor por suspeitas de manipulação é o da última jornada da La Liga em que o Valência garantiu o acesso à Liga dos Campeões com uma vitória sobre o Valladolid, fora, por duas bolas a zero. Quem avança com esta possibilidade é o jornal espanhol ElConfidencial, que destaca a aparente facilidade com que a equipado português Gonçalo Guedes marcou os golos da vitória: no primeiro há uma perda de bola incrível do central do Valladolid e no segundo Rodrigo Moreno (que teve uma passagem muito feliz no Benfica) fica na cara do guarda-redes praticamente sem oposição.

O Valladolid tinha garantido a permanência na La Liga uma jornada antes e na teoria não tinha nada a perder com uma derrota. As suspeitas desta manipulação intensificaram-se quando vários peritos em probabilidades identificaram cotações anormais nas probabilidades de vitoria com handicap.

[Os golos suspeitos do Valladolid-Valência]

Em Portugal já houve um caso semelhante que envolveu o ex-futebolista Abel Silva.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: dlopes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)