Um urso polar muito magro foi visto numa cidade industrial da Sibéria, afastado a cerca de 1.500 quilómetros para sul dos seus territórios de caça.

As entidades de emergência da cidade de Norilsk alertaram na terça-feira os residentes locais sobre um urso localizado numa cidade do distrito.

Irina Yarinskaya, fotógrafa do jornal Zapolyarnaya Pravda que esteve presente no local, relatou que o animal estava “com muita fome” e dificuldade em andar e manter os olhos abertos. “Ele estava deitado há muito tempo, a descansar”, disse em declarações ao The Siberian Times.

O animal foi filmado por vários moradores locais. Alguns adolescentes, que disseram estar a 40 ou 50 metros de distância, afirmaram ao mesmo órgão de comunicação que o urso não mostrava sinais de agressão.

Anatoly Nikolaichuk, chefe do departamento de caça local, relatou à agência de notícias Tass o momento em que se aproximaram do animal pela primeira vez. “Chegamos a 20 metros e o animal não reagiu ao barulho do carro” . Segundo a mesma fonte a última vez que um urso polar foi visto na cidade foi em 1977.

O urso polar tem sido observado pela polícia e por elementos do mecanismo de Emergência local, mas devido a leis de proteção de espécies ameaçadas é necessário esperar por uma aprovação de Moscovo para que o animal possa ser sedado e assim devolvido à costa do Ártico. A possibilidade de ser reencaminhado para um jardim zoológico também está a ser tida em conta.

Os ambientalistas afirmam que os animais selvagens estão a sofrer com a redução do ambiente de caça e a diminuição do gelo, à medida que o Ártico vai ficando mais quente, e alguns têm-se aventurado para sul à procura de comida.